Presidente do Boca pede ajuda aos sócios e fala em ‘punição exemplar’

Daniel Angelucci se solidariza com o River: 'Nosso eterno rival foi agredido em nossa casa'

Divulgação

O presidente do Boca Juniors, Daniel Angelucci, defende “punição exemplar” para o responsável que atirou o gás de pimenta que atingiu quatro jogadores do River Plate e fez a partida ser paralisada na última quinta-feira, na Bombonera, em duelo de volta das oitavas de final da Copa Libertadores.

– O importante é que jogadores do nosso eterno rival foram agredidos em nossa casa. Fizemos o protocolo de segurança, com 200 policiais a mais do que o normal. Lutamos para que a violência desapareça e que nos jogos do Boca E tenhamos o verdadeiro torcedor.

Angelucci afirma que o Boca Juniors apresentará todas as provas possíveis, já que a Conmebol concedeu ao clube um direito de defesa. O mandatário se diz envergonhado e pede a colaboração dos sócios na busca pelos vândalos que causaram o incidente.

– Devemos levar materiais e provas para a reunião que ocorrerá neste sábado. Na Conmebol há um regulamento. Estamos em contato a segurança e a polícia científica para buscar algo mais preciso. Peço ao verdadeiro sócio que pode nos ajudar a descobrir os culpados. Esperamos que eles nos reportem vídeos fotos e telefones e fale a todos. Ocorreu num setor deles e onde normalmente nunca ocorre problema.

Em nota oficial, a Conmebol confirma que já abriu um processo disciplinar contra o Boca Juniors e promete uma decisão para sábado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol Sul-americano

Loading...