Escândalo de namorado com a mãe. É sina de Neymar: não ter paz

Briga da mãe com o namorado acaba no hospital. Mas é destino de Neymar. Desde que começou a carreira, ele não tem um ano sem polêmica

Que filho não ficaria abalado?

Com a mãe vivendo um filme de terror?

Ela sozinha em uma cobertura, com o namorado, 31 anos mais jovem, cobim passado violento, com relacionamentos homossexuais, transtornado?

Gritando, embriagado, quebrando o próprio celular no chão, gritando que iria se matar.

E socando uma vidraça, provocando um profundo corte de 12 centímentros no braço?

Com a mãe tendo de levá-lo de ambulância para um hospital?

Todos, inclusive Neymar.

O jogador vivia um dos seus momentos mais calmos na carreira, enfrentando a pandemia ao lado dos ‘parças’, amigos que banca para acompanhá-lo pelo mundo.

Treinava, se divertia.

Nadine e Tiago começaram a namorar em abril – Foto: Reprodução/R7Nadine e Tiago começaram a namorar em abril – Foto: Reprodução/R7

Até que a mãe Nadine o coloca, de maneira involuntária, nas páginas de jornais do mundo todo.

Tabloides europeus como o mais famoso deles, o britânico The Sun, não perdoaram.

E expuseram a perigosa briga do casal.

Não por Nadine ou o namorado Tiago.

Mas por ser com a ‘mãe de Neymar’.

Sites especializados em fofocas não param de destacar cada detalhe da constrangedora situação.

Por conta do principal ídolo do futebol brasileiro.

Embora a assessoria de imprensa do jogador tenha afirmado ontem que havia acontecido um ‘acidente doméstico’ com Tiago, portais conseguiram os detalhes da briga, que levou o jovem que poderia ser padrasto de Neymar, ao hospital.

O roteiro assustador começa com gritos na cobertura de um condomínio de luxo, no bairro de Embaré, em Santos. E choro de Nadine.

Vizinhos detalharam terem ouvido uma forte discussão entre os dois.

Tudo teria começado, de acordo com o jornal Extra, no jantar. Com Tiago bebendo e se descontrolando. Primeiro, teria quebrado seu celular. E começado a gritar. Nadine chorava e tentava acalmá-lo. Até que ele passou a gritar mais alto ainda.

Teria falado em se ferir, depois, se matar.

Até que deu violento soco em uma vidraça da cobertura.

O sangue dominava o braço direito de Tiago.

Nadine telefonou para o SAMU. A ambulância chegou e os levou até o UPA Central de Santos. Mas devido à gravidade do corte, Tiago teve de ser transportado até a Santa Casa da cidade litorânea.

“Quando eu vi essa matéria (da briga dele com Nadine), eu me vi na cena. Eu avisei que ele é super agressivo. Ele está fazendo tudo que fez comigo. Ele quebrou tudo no hotel Transamérica, na Barra da Tijuca, onde estávamos hospedados.”

“Jogou cadeiras do 20ª andar e depois se feriu ao dar um soco numa mesa de vidro, se cortando todo e ainda tentou se jogar pela janela”, disse o ex-namorado de Tiago, o assessor de imprensa Irinaldo Oliver.

Não bastasse essa revelação, a história de que foi violento com uma ex-namorada espanhola, Rita Cumplido, de 44 anos, voltou à tona.

“Quase sempre era pelo mesmo motivo. Ele bebia muito, se alterava e ficava muito ciumento. Ele sempre pensava que eu estava com outros homens e que eu estava enganando ele”, contou. “Em uma dessas situações, ele ficou muito bravo, me pegou com muita força pelo braço e me deixou com o olho roxo.”

“Nesse dia, fui agredida mais violentamente e fui à delegacia. Ele fez um buraco enorme na minha cabeça, me jogou no chão e me deu um golpe muito forte. Eu tinha que denunciar, porque ele me bateu em frente à delegacia, na frente do policial.”

Ele foi proibido legalmente de se aproximar de Rita.

Ao sair do hospital, Tiago voltou para um flat, alugado por Nadine.

A mãe de Neymar estaria muito abalada com a situação.

Não quer reaproximação com o rapaz. E que, desta vez, vai respeitar a vontade da  família, que nunca foi a favor do namoro, garantem colunistas especializados em fofocas.

A maldição na carreira de Neymar segue.

Desde que se firmou como profissional, em 2010, não há um ano sem uma grande polêmica para atrapalhá-lo.

Leia também: 

A primeira foi no Brasileiro em 2011, quando deu enorme chilique, quando Dorival não permitiu que cobrasse pênalti contra o Atlético Goianiense.

“Estamos criando um monstro”, previu Renê Simões.

Depois, no mesmo ano, quando jogou a final do Mundial de Clubes, contra o Barcelona, no Japão. Mas seu pai já havia recebido 10 milhões de euros, atuais R$ 57 milhões, como ‘preferência’ do clube catalão.

Retrospecto

Na Olimpíada de Londres, em 2012, foi figura apagada, sentiu a responsabilidade de liderar a seleção na busca da medalha olímpica. Sumiu na decisão contra o México. E o Brasil ficou com a prata.

Em 2014, depois de trocar provocações com Zuñiga, recebeu uma violenta joelhada na lombar que o tirou da Copa do Mundo do Brasil.

Na Copa América de 2015, se envolveu em briga com a seleção da Colômbia, foi expulso após a partida, depois de ofender o árbitro Enrique Osses.

Em 2016, após conquistar a medalha de ouro olímpica, no Maracanã, parte para cima de torcedores brasileiros que o xingavam. E depois avisou que a imprensa teria de ‘engoli-lo’.

Em 2017, sai pela porta dos fundos do Barcelona. Negociou com o PSG sem os catalães saberem. E se tornou o jogador mais caro do mundo, só que odiado pela torcida espanhola.

Neymar Jr – Foto: CBF/DivulgaçãoNeymar Jr – Foto: CBF/Divulgação

2018 marcou com o ano da simulações bizarras na Copa do Mundo da Rússia. Se tornou piada mundial.

2019 começou bem. Com o jogador mal recuperado da segunda fratura no pé direito e ‘dançando’ até o chão no Carnaval. Situação absurda para o jogador mais caro do mundo.

Além disso, no ano passado, foi acusado de estupro e agressão por parte da modelo Najila Trindade. Pela primeira vez na história da seleção, viaturas da polícia foram atrás de um jogador na Granja Comary. O estupro não ficou comprovado.

Então, o mundo assistiu apenas à Najila estapeá-lo no rosto, em Paris.

2020 estava tranquilo, para alguém problemático como Neymar.

Mas o romance de sua mãe Nadine com Tiago Ramos acabou com a tranquilidade em Mangaratiba.

O jogador, de novo, no centro de uma grande polêmica.

E que desvia o foco de sua carreira.

Dessa história de terror, ele não teve culpa…

+ Futebol