Conteúdo por Gazeta Esportiva

Saída de Dudu pode colocar em xeque plano de Luxemburgo no Palmeiras

Desde a chegada de Rony em fevereiro, Vanderlei Luxemburgo vem tentando mudar o posicionamento ofensivo do Palmeiras. A ideia do treinador é jogar com quatro atacantes: uma linha de três trabalhando atrás mais o centro-avante à frente. O plano, porém, pode ir água abaixo caso o clube aceite a proposta de R$ 80 milhões do Al-Duhail do Catar por Dudu.

A escalação proposta pelo técnico, e colocada em práticas nos últimos jogos antes da paralisação, tentava aproveitar o talento do elenco ao máximo. A grande mudança recaía sobre Dudu, que passou a atuar mais centralizado, trabalhando não só como um condutor e finalizador de jogadas, mas também como um armador, encarregado por boa parte da distribuição na faixa central.

Antes da parada, Dudu vinha formando quarteto com Rony, Willian e Luiz Adriano

Com o camisa 7 na faixa central, Rony manteve o papel de ponta esquerda desempenhado no Athletico-PR e Willian voltou ao time titular atuando pela direita. Na frente, Luiz Adriano fechava o quarteto, sendo a maior referência de área, mas abrindo espaços para infiltração dos outros três.

Caso Dudu seja vendido, o plano deverá ser modificado por Luxa, isso porque não existe no elenco outro jogador com as mesmas características do atacante. Tudo indica que um meio-campista de formação retome a titularidade e o time volte a atuar no esquema que iniciou o ano.

Lutando por uma vaga estariam Zé Rafael, que vem jogando como volante mas pode ser adiantado, Raphael Veiga, Gustavo Scarpa e Lucas Lima.

Usado como segundo homem de meio-campo, Zé Rafael é quem mais jogou entre os quatro postulantes; o meia entrou em todos os 12 jogos do time no ano e marcou um gol. Lucas Lima aparece em segundo, tendo feito oito partidas e marcado uma vez.

Após inciar o ano improvisado na ponta, Veiga comunicou Luxa que preferia disputar vaga no meio; foram cinco jogos em 2020, com um gol anotado. O menos utilizado na temporada foi Scarpa, o meia só entrou em campo três vezes e também marcou um gol.

Acusação de agressão

Dudu foi acusado de agressão por Mallu Ohanna, ex-mulher do atleta, após discussão na última segunda-feira, no bairro de Perdizes, Zona Oeste de São Paulo. O atleta nega a versão.

Após divulgar o caso em live com o jornalista Léo Dias na última terça-feira, Mallu Ohanna prestou esclarecimentos na última quarta-feira por mais de 11 horas na 9ª Delegacia de Defesa da Mulher. A ex-mulher do jogador estava companhada por seus advogados e por testemunhas do episódio. A defesa requereu as imagens de todo o circuito interno do condomínio e crê que o material comprovará sua tese.

“Não se tratam apenas das agressões físicas sofridas por Mallu na última segunda feira, mas de um relacionamento abusivo que sofreu durante os 11 anos em que viveu com o Eduardo, sendo agressões físicas, verbais, psicológicas e patrimoniais”, diz nota dos advogados de Mallu.

De maneira voluntária, Dudu esteve na delegacia na última terça-feira e, em rápida entrevista concedida na saída do local, reafirmou a própria inocência. O Palmeiras, em nota, avisou que planeja acompanhar o assunto até a conclusão das investigações, mas já se disse contra atos que atentem “contra a dignidade humana”.

+ Futebol