Conteúdo por Gazeta Esportiva

Você sabia? Antes de colecionar títulos, Gabriel Jesus foi abençoado por padre palmeirense

Com apenas 23 anos, Gabriel Jesus já tem uma coleção de títulos de peso, conquistados por Palmeiras, Manchester City e Seleção Brasileira. Antes de se acostumar a levantar taças, o atacante formado nas categorias de base do clube alviverde foi abençoado pelo padre Anísio Baldessin.

Em setembro de 2015, a Gazeta Esportiva promoveu o encontro entre Gabriel Jesus e o religioso, palmeirense e um dos responsáveis pelas missas dominicais celebradas no clube. De batina branca e estola verde, o padre abençoou Gabriel Fernando de Jesus sob as redes de um gol na Academia de Futebol.

Com os braços colados ao corpo, de olhos fechados, o jovem ouviu respeitosamente as palavras do padre. Então dono da camisa 33, número alusivo à idade de Cristo ao ser crucificado, o garoto havia completado 18 anos justamente na Sexta-feira Santa.

“Nunca gostei do ‘Fernando’ no meu nome. Sempre preferi ser chamado de Gabriel Jesus. Quando ainda estava nas categorias de base e escolhi o ‘Jesus’, me avisaram que teria um monte de brincadeiras, mas é meu nome. Fazer o quê?”, sorriu, já habituado com a camisa 33, sugerida pelo clube. “Gostei do número”, completou, na época.

Gabriel Jesus brilhou nas categorias de base do Palmeiras e acabou promovido ao time profissional cercado por grande expectativa. Rapidamente, a torcida criou uma canção especial para louvar o atacante antes de cada jogo: “Glória, glória, aleluia! Glória, glória, aleluia! Glória, glória, aleluia! É Gabriel Jesus!”.

“Pelo carinho da torcida, eu gostei da música, mas, às vezes, dá um sei lá o quê, por causa do nome ‘Jesus’”, contou o atleta, religioso. “Tenho o costume de rezar antes das partidas, de pedir para Deus nos guiar e proteger a todos que estão em campo. Sempre oro para que ninguém se machuque”, acrescentou, em 2015.

Formado em filosofia e teologia, Anísio Baldessin virou palmeirense ao testemunhar os milagres do divino Ademir da Guia, líder da Academia de Futebol. Fã de Leivinha, autor de 108 gols com a camisa alviverde, o religioso já falava com otimismo sobre Gabriel Jesus.

“Pelo que vi jogar, é um cara diferente. Sempre observo como os centroavantes finalizam. Os bons atacantes não dão chutão e o Gabriel é assim. Quando fica na cara do goleiro, pensa muito rápido e sabe definir. Acho que tem futuro”, apostou Baldessin, vice-reitor e pró-reitor administrativo do Centro Universitário São Camilo

Menos de três meses após ser abençoado, Gabriel Jesus participou da conquista da Copa do Brasil 2015, seu primeiro título como profissional. Nos anos seguintes, além de triunfar pela Seleção, o atacante acumulou títulos nacionais no Brasil e na Inglaterra, cumprindo a profecia do palmeirense Anísio Baldessin.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Futebol

Loading...