Retrospectiva 2019: O ano do esporte joinvilense

O ano de 2019 foi de derrotas para o torcedor joinvilense. Futebol, futsal e basquete ficaram pelo caminho e não conquistaram títulos

O JEC começou com o pé esquerdo o ano de 2019. A má fase não se limitou ao ano de 2018 e continuou durante essa temporada. A primeira eliminação veio logo no começo do ano. No dia 6 de fevereiro, depois de perder para o Atlético-CE, o Tricolor foi eliminado já na primeira fase da Copa do Brasil. Competição que, aliás, o Joinville não disputa em 2020 porque caiu no ranking da CBF e não conquistou nenhum dos títulos que pudessem credenciá-lo para o campeonato nacional. - JEC
1 14

O JEC começou com o pé esquerdo o ano de 2019. A má fase não se limitou ao ano de 2018 e continuou durante essa temporada. A primeira eliminação veio logo no começo do ano. No dia 6 de fevereiro, depois de perder para o Atlético-CE, o Tricolor foi eliminado já na primeira fase da Copa do Brasil. Competição que, aliás, o Joinville não disputa em 2020 porque caiu no ranking da CBF e não conquistou nenhum dos títulos que pudessem credenciá-lo para o campeonato nacional. - JEC

O ano realmente foi para o torcedor esquecer. Precisando de bons resultados para voltar à série C, o JEC estreou na quarta divisão sendo derrotado pela Ferroviária depois de perder um pênalti. Menos de um mês depois, o torcedor tricolor viu as esperanças escorrerem pelas mãos e o sonho do acesso acabar. Depois de ser derrotado pelo Maringá, o Tricolor deu adeus às chances de classificação e apenas cumpriu tabela na semana seguinte para se despedir da competição. - Julio César/JEC
2 14

O ano realmente foi para o torcedor esquecer. Precisando de bons resultados para voltar à série C, o JEC estreou na quarta divisão sendo derrotado pela Ferroviária depois de perder um pênalti. Menos de um mês depois, o torcedor tricolor viu as esperanças escorrerem pelas mãos e o sonho do acesso acabar. Depois de ser derrotado pelo Maringá, o Tricolor deu adeus às chances de classificação e apenas cumpriu tabela na semana seguinte para se despedir da competição. - Julio César/JEC

Os reveses continuaram. Dois meses depois de ser eliminado da Copa do Brasil, o JEC se despediu do Campeonato Catarinense sem sequer chegar às semifinais. O último jogo na competição foi no dia 7 de abril, quando o Coelho enfrentou o Tubarão apenas para cumprir tabela. - Julio César/JEC
3 14

Os reveses continuaram. Dois meses depois de ser eliminado da Copa do Brasil, o JEC se despediu do Campeonato Catarinense sem sequer chegar às semifinais. O último jogo na competição foi no dia 7 de abril, quando o Coelho enfrentou o Tubarão apenas para cumprir tabela. - Julio César/JEC

A última competição do ano significava muito para o Tricolor. A Copa Santa Catarina dá vaga à Copa do Brasil e conquistar o título poderia minimizar o ano ruim da equipe. Mas, a história foi bem diferente e, mais uma vez, o JEC sequer conseguiu se classificar para a semifinal. A despedida de jogos oficiais aconteceu no dia 30 de outubro, quando o JEC venceu o Figueirense em casa, mas já sem qualquer chance de classificação. - Yan Pedro/JEC
4 14

A última competição do ano significava muito para o Tricolor. A Copa Santa Catarina dá vaga à Copa do Brasil e conquistar o título poderia minimizar o ano ruim da equipe. Mas, a história foi bem diferente e, mais uma vez, o JEC sequer conseguiu se classificar para a semifinal. A despedida de jogos oficiais aconteceu no dia 30 de outubro, quando o JEC venceu o Figueirense em casa, mas já sem qualquer chance de classificação. - Yan Pedro/JEC

Com um ano para esquecer e tentando maneiras de retomar a confiança do torcedor e reencontrar o caminho das vitórias e dos títulos, o Joinville começou a reformulação trazendo de volta velhos conhecidos da torcida. O maior artilheiro da história do clube e jogadores que estiveram nas maiores conquistas do JEC voltam para vestir a camisa tricolor e tentar fazer com que o clube volte a comemorar. Lima, Ivan e Wellington Saci, alguns dos principais protagonistas dos títulos brasileiros do Joinville estão de volta e estreiam com a camisa preta, branca e vermelha no Campeonato Catarinense de 2020. - Yan Pedro/JEC
5 14

Com um ano para esquecer e tentando maneiras de retomar a confiança do torcedor e reencontrar o caminho das vitórias e dos títulos, o Joinville começou a reformulação trazendo de volta velhos conhecidos da torcida. O maior artilheiro da história do clube e jogadores que estiveram nas maiores conquistas do JEC voltam para vestir a camisa tricolor e tentar fazer com que o clube volte a comemorar. Lima, Ivan e Wellington Saci, alguns dos principais protagonistas dos títulos brasileiros do Joinville estão de volta e estreiam com a camisa preta, branca e vermelha no Campeonato Catarinense de 2020. - Yan Pedro/JEC

O ano também não foi como o torcedor do futsal esperava em Joinville. O torneio preparatório disputado pelo tricolor deu sinal de que seria um ano difícil. Na Copa Uniasselvi, disputada em Blumenau, o Tricolor teve apenas uma vitória, no jogo em que já estava eliminado a apenas cumpria tabela. - Juliano Schmidt/JEC Futsal/Arquivo/ND
6 14

O ano também não foi como o torcedor do futsal esperava em Joinville. O torneio preparatório disputado pelo tricolor deu sinal de que seria um ano difícil. Na Copa Uniasselvi, disputada em Blumenau, o Tricolor teve apenas uma vitória, no jogo em que já estava eliminado a apenas cumpria tabela. - Juliano Schmidt/JEC Futsal/Arquivo/ND

O Joinville começou a Liga Nacional sendo derrotado pelo estreante Campo Mourão e a partir dali, a equipe enfrentou uma temporada cheia de altos e baixos. Com uma equipe oscilando muito durante toda a competição, a diretoria trabalhou para trazer reforços no meio do ano. E conseguiu. Xuxa e Dieguinho chegaram para reforçar a equipe nos playoffs. Mas, não foi suficiente. Pelo segundo ano consecutivo, a equipe até então comandada pelo técnico Vander Iacovino foi eliminada da LNF pelo Sorocaba. A eliminação foi ainda mais dolorida por conta do jogo histórico no Centreventos Cau Hansen. O Tricolor foi derrotado por 7 a 0 diante de sua torcida. No interior paulista, a equipe comandada por Ricardinho fez o dever de casa e carimbou a vaga para a final. - Juliano Schmidt/JEC Futsal
7 14

O Joinville começou a Liga Nacional sendo derrotado pelo estreante Campo Mourão e a partir dali, a equipe enfrentou uma temporada cheia de altos e baixos. Com uma equipe oscilando muito durante toda a competição, a diretoria trabalhou para trazer reforços no meio do ano. E conseguiu. Xuxa e Dieguinho chegaram para reforçar a equipe nos playoffs. Mas, não foi suficiente. Pelo segundo ano consecutivo, a equipe até então comandada pelo técnico Vander Iacovino foi eliminada da LNF pelo Sorocaba. A eliminação foi ainda mais dolorida por conta do jogo histórico no Centreventos Cau Hansen. O Tricolor foi derrotado por 7 a 0 diante de sua torcida. No interior paulista, a equipe comandada por Ricardinho fez o dever de casa e carimbou a vaga para a final. - Juliano Schmidt/JEC Futsal

Depois de ser duramente eliminado da Liga Nacional, o Joinville precisava conquistar o Campeonato Estadual para conquistar ao menos um título na temporada. Mas, a equipe principal, montada para ser campeã, terminou ano sem uma taça sequer. Enfrentando o Joaçaba, o Tricolor perdeu fora de casa e viu a equipe do Meio Oeste brigar pelo empate no Centreventos e garantir a comemoração em Joinville. - Juliano Schmidt/JEC Futsal
8 14

Depois de ser duramente eliminado da Liga Nacional, o Joinville precisava conquistar o Campeonato Estadual para conquistar ao menos um título na temporada. Mas, a equipe principal, montada para ser campeã, terminou ano sem uma taça sequer. Enfrentando o Joaçaba, o Tricolor perdeu fora de casa e viu a equipe do Meio Oeste brigar pelo empate no Centreventos e garantir a comemoração em Joinville. - Juliano Schmidt/JEC Futsal

Depois do ano muito aquém do esperado, a diretoria do JEC Futsal promoveu uma grande reformulação no elenco. Saíram: Jackson Samurai, Bruno, Bruninho Iacovino, Leandro Caires, Gabriel Penezio, João Paulo, Sinésio, Thiaguinho e Ciço deixaram a equipe. Além deles, o técnico Vander Iacovino também deixou a equipe. Além das renovações de Leco, Willian, Xuxa, Dieguinho, Genaro, Machado e Dennis, o Joinville promoveu Arthur, Chrystian e Andrei para a equipe principal. Até o momento, foram anunciadas as chegadas de: Igor Carioca, Rodriguinho, Caio, João Salla, Renatinho e Vini Mello. O auxiliar técnico Daniel Júnior comandará a equipe em 2020. - Vitor Forcellini
9 14

Depois do ano muito aquém do esperado, a diretoria do JEC Futsal promoveu uma grande reformulação no elenco. Saíram: Jackson Samurai, Bruno, Bruninho Iacovino, Leandro Caires, Gabriel Penezio, João Paulo, Sinésio, Thiaguinho e Ciço deixaram a equipe. Além deles, o técnico Vander Iacovino também deixou a equipe. Além das renovações de Leco, Willian, Xuxa, Dieguinho, Genaro, Machado e Dennis, o Joinville promoveu Arthur, Chrystian e Andrei para a equipe principal. Até o momento, foram anunciadas as chegadas de: Igor Carioca, Rodriguinho, Caio, João Salla, Renatinho e Vini Mello. O auxiliar técnico Daniel Júnior comandará a equipe em 2020. - Vitor Forcellini

Depois de ser vice-campeão da Liga Ouro em 2017 e retornar ao NBB, o Basquete Joinville fez uma péssima temporada de 2018/2019, que culminou com a lanterna da competição nacional. Com apenas 19,2% de aproveitamento, o Joinville não avançou aos playoffs, apesar de ter apostado na base da equipe que havia disputado a temporada anterior e de ter trazido reforços americanos, como Cook e Starks. Após a eliminação, a equipe praticamente se desmanchou e viu seus principais nomes indo embora. Felipe Vezaro, que foi campeão do Torneio de 3 pontos, foi para o Corinthians, Jefferson Socas foi para o basquete 3 x 3 e os americanos saíram do Brasil. - LNB
10 14

Depois de ser vice-campeão da Liga Ouro em 2017 e retornar ao NBB, o Basquete Joinville fez uma péssima temporada de 2018/2019, que culminou com a lanterna da competição nacional. Com apenas 19,2% de aproveitamento, o Joinville não avançou aos playoffs, apesar de ter apostado na base da equipe que havia disputado a temporada anterior e de ter trazido reforços americanos, como Cook e Starks. Após a eliminação, a equipe praticamente se desmanchou e viu seus principais nomes indo embora. Felipe Vezaro, que foi campeão do Torneio de 3 pontos, foi para o Corinthians, Jefferson Socas foi para o basquete 3 x 3 e os americanos saíram do Brasil. - LNB

O Basquete Joinville chegou, mais uma vez, à final do Campeonato Catarinense, mas novamente foi derrotado por Blumenau e viu a equipe do Vale do Itajaí levantar a taça. - Sidnei Batista
11 14

O Basquete Joinville chegou, mais uma vez, à final do Campeonato Catarinense, mas novamente foi derrotado por Blumenau e viu a equipe do Vale do Itajaí levantar a taça. - Sidnei Batista

Mesmo após ser teoricamente rebaixado para a divisão de acesso, o Basquete Joinville garantiu a vaga no NBB graças ao regulamento da competição. Apesar disso, a diretoria declinou e vendeu a franquia que havia adquirido para o São Paulo. Com isso, para voltar, o Basquete Joinville terá que vencer o Campeonato Brasileiro da CBB, que substitui a Liga Ouro e é a via de acesso ao NBB. - Basquete Joinville
12 14

Mesmo após ser teoricamente rebaixado para a divisão de acesso, o Basquete Joinville garantiu a vaga no NBB graças ao regulamento da competição. Apesar disso, a diretoria declinou e vendeu a franquia que havia adquirido para o São Paulo. Com isso, para voltar, o Basquete Joinville terá que vencer o Campeonato Brasileiro da CBB, que substitui a Liga Ouro e é a via de acesso ao NBB. - Basquete Joinville

O Blackstar disputou já neste ano o Campeonato Brasileiro da CBB, mesmo que, nesta temporada, ele não fosse via de acesso ao NBB. Sem conquistar o campeonato, a equipe joinvilense se mostrou disposta a montar um elenco capaz de brigar pelo título brasileiro em 2020. Para isso, repatriou o técnico Alberto Bial e, com ele, trouxe diversos jogadores experientes, montando assim um time forte. Jefferson Socas, ex-jogador do Basquete Joinville também foi repatriado pelo Black e irá conciliar com o basquete 3x3.
- Blackstar
13 14

O Blackstar disputou já neste ano o Campeonato Brasileiro da CBB, mesmo que, nesta temporada, ele não fosse via de acesso ao NBB. Sem conquistar o campeonato, a equipe joinvilense se mostrou disposta a montar um elenco capaz de brigar pelo título brasileiro em 2020. Para isso, repatriou o técnico Alberto Bial e, com ele, trouxe diversos jogadores experientes, montando assim um time forte. Jefferson Socas, ex-jogador do Basquete Joinville também foi repatriado pelo Black e irá conciliar com o basquete 3x3. - Blackstar

Joinvilense, o ala Jefferson Socas teve um ano e tanto e para coroá-lo, ele recebeu, em dezembro, o Prêmio Brasil Olímpico como atleta do ano no basquete 3x3. Socas recebeu o troféu das mãos do campeão olímpico Emanuel Scheffer. - CBB
14 14

Joinvilense, o ala Jefferson Socas teve um ano e tanto e para coroá-lo, ele recebeu, em dezembro, o Prêmio Brasil Olímpico como atleta do ano no basquete 3x3. Socas recebeu o troféu das mãos do campeão olímpico Emanuel Scheffer. - CBB

+

Futsal