Dia do inventor: Conheça cinco grandes invenções catarinenses

Veio de Brusque uma criação tão cara e presente na democracia brasileira. Após seis anos de pesquisa, motivados pela vontade de acelerar a contagem dos votos, o juiz Carlos Prudêncio criou a primeira urna eletrônica. O feito coincidiu com o ano da nossa constituição: 1988. Em 15 de novembro de 1989, os brusquenses foram os primeiros brasileiros a votarem em urna eletrônica. Foi só no dia 1º de outubro de 2000 que todos o municípios brasileiros votaram através do Voto Eletrônico. (com informações do site Brusque Memória) - Reprodução Facebook/ND

Veio de Brusque uma criação tão cara e presente na democracia brasileira. Após seis anos de pesquisa, motivados pela vontade de acelerar a contagem dos votos, o juiz Carlos Prudêncio criou a primeira urna eletrônica. O feito coincidiu com o ano da nossa constituição: 1988. Em 15 de novembro de 1989, os brusquenses foram os primeiros brasileiros a votarem em urna eletrônica. Foi só no dia 1º de outubro de 2000 que todos o municípios brasileiros votaram através do Voto Eletrônico. (com informações do site Brusque Memória) - Reprodução Facebook/ND

Em dezembro, o criador biguaçuense Agnaldo João Nau vira um papai noel voador. Nas noites natalinas, ele percorre o município da Grande Florianópolis com um trenó voador – em um ultraleve. A imagem é de 2018 (Com informações RICTV/Record) - RICTV/Divulgação/ND

Em dezembro, o criador biguaçuense Agnaldo João Nau vira um papai noel voador. Nas noites natalinas, ele percorre o município da Grande Florianópolis com um trenó voador – em um ultraleve. A imagem é de 2018 (Com informações RICTV/Record) - RICTV/Divulgação/ND

O criador e agricultor Jens Cellaurius desenvolveu pelo menos duas casas giratórias em Ituporanga. A primeira foi construída no final da década de 90. Com uma manivela no centro da casa, é possível movimentar todo o segundo andar da casa, dando um giro completo. O motivo da criação foi a vontade de tomar o chimarrão na sombra e evitar o sol da tarde. Jens cursou apenas os dois primeiros anos de escola. A casa conta com dezenas de rolamento e engrenagens de ferro. A tubulação de esgoto percorre a escada central, que gira com a parte de cima da casa. (Com informações RICTV/Record) - RICTV/Divulgação/ND

O criador e agricultor Jens Cellaurius desenvolveu pelo menos duas casas giratórias em Ituporanga. A primeira foi construída no final da década de 90. Com uma manivela no centro da casa, é possível movimentar todo o segundo andar da casa, dando um giro completo. O motivo da criação foi a vontade de tomar o chimarrão na sombra e evitar o sol da tarde. Jens cursou apenas os dois primeiros anos de escola. A casa conta com dezenas de rolamento e engrenagens de ferro. A tubulação de esgoto percorre a escada central, que gira com a parte de cima da casa. (Com informações RICTV/Record) - RICTV/Divulgação/ND

O cientista Felipe Reitz desenvolveu uma máquina que mostra a intensidade da dor. O primeiro protótipo da máquina foi produzido em 2017, pelo Sapiens Parque, com apoio do Governo do Estado. O ReitzScan identifica, avalia e quantifica a dor em três estágios: suave, moderada ou severa. (Com informações RICTV/Record) - RICTV/Divulgação/ND

O cientista Felipe Reitz desenvolveu uma máquina que mostra a intensidade da dor. O primeiro protótipo da máquina foi produzido em 2017, pelo Sapiens Parque, com apoio do Governo do Estado. O ReitzScan identifica, avalia e quantifica a dor em três estágios: suave, moderada ou severa. (Com informações RICTV/Record) - RICTV/Divulgação/ND

O terrível trânsito de Florianópolis também inspirou boas ideias. Após ficar três horas no trânsito de um trajeto costumava fazer em 15 minutos, o engenheiro Roberto Vaz decidiu criar um carro anfíbio. A ideia é poder cortar as filas pelo mar. O veículo conta com chassi de ferro, carenagem de isopor, rodas de motor e motores para terra e água. O projeto ainda está em elaboração. (Com informações Record News SC) - Record News/Divulgação/ND

O terrível trânsito de Florianópolis também inspirou boas ideias. Após ficar três horas no trânsito de um trajeto costumava fazer em 15 minutos, o engenheiro Roberto Vaz decidiu criar um carro anfíbio. A ideia é poder cortar as filas pelo mar. O veículo conta com chassi de ferro, carenagem de isopor, rodas de motor e motores para terra e água. O projeto ainda está em elaboração. (Com informações Record News SC) - Record News/Divulgação/ND

Últimas notícias