Sete erros que explicam a queda da Chapecoense

Contratação de Ney Franco após a saída de Claudinei Oliveira em março. Ele deixou o clube em virtude dos maus resultados, sobretudo após a goleada de 4x0 sofrida contra o São Paulo. A Chape fez sua pior arrancada desde que passou a disputar a Série A, com apenas 8 pontos em 11 partidas. - Foto: Rafael Bressan/ACF

Contratação de Ney Franco após a saída de Claudinei Oliveira em março. Ele deixou o clube em virtude dos maus resultados, sobretudo após a goleada de 4x0 sofrida contra o São Paulo. A Chape fez sua pior arrancada desde que passou a disputar a Série A, com apenas 8 pontos em 11 partidas. - Foto: Rafael Bressan/ACF

Má gestão do ex-presidente Plinio David De Nes filho, o Maninho, dentro e fora de campo, pode ter somado para o rebaixamento do time, principalmente por questões financeiras do clube. Ele foi o primeiro dirigente da Chape após a tragédia na Colômbia e renunciou ao cargo no início de novembro. - Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Má gestão do ex-presidente Plinio David De Nes filho, o Maninho, dentro e fora de campo, pode ter somado para o rebaixamento do time, principalmente por questões financeiras do clube. Ele foi o primeiro dirigente da Chape após a tragédia na Colômbia e renunciou ao cargo no início de novembro. - Foto: Sirli Freitas/Chapecoense

Afastamento da Chapecoense com os torcedores criou uma divisão que não se tinha. Com isso, segundo os especialistas ouvidos pelo ND, provocou uma rejeição da torcida que, inclusive, impactou diretamente na redução do número de sócios. Em seguida, na economia do clube. - Foto: Marcio Cunha/Chapecoense

Afastamento da Chapecoense com os torcedores criou uma divisão que não se tinha. Com isso, segundo os especialistas ouvidos pelo ND, provocou uma rejeição da torcida que, inclusive, impactou diretamente na redução do número de sócios. Em seguida, na economia do clube. - Foto: Marcio Cunha/Chapecoense

Troca de treinadores durante a temporada 2019 também aparece entre os erros que podem ter contribuído para o rebaixamento da Chape. Foram três: Claudinei Oliveira, Ney Franco e Marquinhos Santos, além da atuação de Emerson Cris, treinador interino. - Foto: Chapecoense

Troca de treinadores durante a temporada 2019 também aparece entre os erros que podem ter contribuído para o rebaixamento da Chape. Foram três: Claudinei Oliveira, Ney Franco e Marquinhos Santos, além da atuação de Emerson Cris, treinador interino. - Foto: Chapecoense

Sequência de brigas internas que provocaram a divisão de conselheiros e executivos, consequente, com a desunião dentro da diretoria. Agravou problemas extracampo, especialmente financeiro. - Foto: Marcio Cunha/Chapecoense

Sequência de brigas internas que provocaram a divisão de conselheiros e executivos, consequente, com a desunião dentro da diretoria. Agravou problemas extracampo, especialmente financeiro. - Foto: Marcio Cunha/Chapecoense

Atraso no pagamento do salário dos jogadores teria ajudado no baixo rendimento dos atletas durante a temporada; um dos fatores para o rebaixamento. Em novembro eles protestaram no Centro de Treinamento por conta das pendências. - Foto: Guilherme Griebeler/Rádio Chapecó

Atraso no pagamento do salário dos jogadores teria ajudado no baixo rendimento dos atletas durante a temporada; um dos fatores para o rebaixamento. Em novembro eles protestaram no Centro de Treinamento por conta das pendências. - Foto: Guilherme Griebeler/Rádio Chapecó

Montagem do elenco com jogadores muito caros, com baixa qualidade e que não deram resultados positivos em campo. Chapecoense começou a temporada com 35 atletas. - Foto: Márcio Cunha/Chapecoense

Montagem do elenco com jogadores muito caros, com baixa qualidade e que não deram resultados positivos em campo. Chapecoense começou a temporada com 35 atletas. - Foto: Márcio Cunha/Chapecoense

Últimas notícias