Veja mitos e verdades sobre a doação de sangue

Em 2014 a OMS (Organização Mundial da Saúde) criou o Dia Mundial do Doador de Sangue. A data foi escolhida em homenagem ao austríaco Karl Landsteiner. O cientista ganhou o prêmio Nobel pela descoberta do fator RH e pela classificação dos grupos sanguíneos no sistema ABO - Fernando Frazão/ND

Homens podem doar sangue a cada dois meses, enquanto mulheres há cada três. A diferença acontece devido à reposição dos estoques de ferro nos homens ser mais rápida. - Pixabay

A doação de sangue não deve ser feita em jejum. O recomendado é que o voluntário se alimente bem, evitando o consumo de alimentos gordurosos até quatro horas antes da doação - Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND

Voluntários que fizeram tatuagens, micropigmentação, maquiagem definitiva ou piercing, devem esperar seis meses para doar sangue - Pixabay

O material utilizado na coleta de sangue é individual, descartável e estéril. Após a doação são realizados exames em laboratórios e somente com resultados negativos o sangue é encaminhado para doação - Pixabay

O organismo leva em média duas ou três semanas para recuperar a quantidade de glóbulos vermelhos doados - Pixabay

No Brasil existe também o Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, comemorado em 25 de novembro. Criada em 1964, a data homenageia os doadores e alerta sobre a importância da doação - Marcelo Camargo/Agência Brasil/ND

Últimas notícias