Pão e Vinho

Conheça os tipos de vinho, as características de cada um, as maneiras de harmonizar a bebida com as mais variadas refeições.


Queijos e vinhos para deixar o inverno mais gostoso

Não há noites melhores do que aquelas que reunimos amigos queridos em torno de uma mesa variada de queijos, tudo regado a bons vinhos.

A variedade de queijos produzidos no mundo é imensa. – Foto: João LombardoA variedade de queijos produzidos no mundo é imensa. – Foto: João Lombardo

Queijos e vinhos são grandes estrelas da boa mesa, no inverno. Parecem ter sido feitos um para o outro. De fato, os dois produtos são grandes parceiros para embalar conversas, alimentar o corpo e a alma. Para promover encontros saborosos e bem combinados, vale observar algumas regrinhas. E celebrar casamentos com final feliz.

Queijos e vinhos apresentam muitas semelhanças entre si. Primeiro, são frutos do processo de fermentação. E têm outros pontos em comum: há vinhos para serem consumidos jovens, como há queijos de pouca maturação, leves e frescos. Há vinhos maduros e queijos maduros, curados. E vinhos e queijos aromáticos, com personalidades marcantes.

Tipologia

Esses detalhes de estilos devem ser levados em conta na hora de fazer escolhas. Para acompanhar queijos frescos, busque vinhos jovens, frescos e frutados. Para os queijos maduros, intensos, opte por vinhos igualmente maduros, mais envelhecidos e complexos. Queijos aromáticos combinam com vinhos aromáticos, frutados, florais, com notas de especiarias.

Questões ligadas ao sabor e ao tato também devem ser consideradas-. A acidez do queijo é uma delas. O teor de gordura é outro. Ao mastigar um queijo, a acidez faz a boca salivar. Um bom teor alcoólico, no vinho, ajudar a enxugar essa salivação. A gordura embota e tira um pouco a sensibilidade do paladar. Acidez, a alcoolicidade e uma tanicidade leve (nesse último caso, nos tintos) ajudam a limpar o paladar das gorduras do queijo.

Os vinhos

Vinhos tintos muito tânicos devem ser vistos com um certo cuidado na combinação com queijos, principalmente com queijos mais salgados. Taninos em conjugação com sal elevado amargam o paladar e tornam a combinação desagradável.

Vinhos brancos costumam harmonizar melhor com queijos. Desde brancos leves e frescos àqueles mais complexos, amadurecidos em barricas e na garrafa. Depende da estrutura do queijo. Tintos vão melhor com queijos mais fortes.

Tábua de queijos

Muitos queijos podem compor uma deliciosa tábua. – Foto: João LombardoMuitos queijos podem compor uma deliciosa tábua. – Foto: João Lombardo

Na hora de montar uma tábua, leve em consideração o seguinte: queijos com características muito diferentes dificilmente vão combinar com um único vinho. Por exemplo: muçarela de búfala, queijo de leite de cabra, ementhal, grana padano e gorgonzola são estilos com características aromáticas e gustativas muito diversas.

O ideal é escolher queijos com tipologias semelhantes, para fazer uma gostosa harmonização com um único vinho. Se escolher queijos leves, delicados e macios, opte por brancos de boa aromaticidade e estrutura, igualmente mais leves. Se escolher queijos mais intensos, fortes, picantes, curados, opte ou por brancos muito estruturados ou por tintos, de preferência maduros e com taninos macios. Uma dica: tire os queijos da geladeira pelo menos meia hora antes de servi-los.

Vinhos doces

Para a surpresa de muitos, os vinhos doces fazem uma deliciosa harmonização com queijos. Eles aparam todas as arestas gustativas presentes tanto em queijos mais frescos como nos mais curados. Ou seja, equilibram a acidez, amargor e a sapidez e equalizam a tendência doce de muitos queijos. Funcionam como algodão entre cristais. Esses vinhos podem ser brancos passitos, de colheita tardia e brancos botritizados, entre outros. Ou tintos doces e fortificados, como os vinhos do Porto. E um detalhe: combinam com uma tábua variada de queijos.

Os franceses sabem muito bem disso e costumam encerrar suas refeições com uma diversificada tábua de queijos, acompanhada de um bom vinho doce, Sauternes, Mombazillac, Sait Croix du Mont etc.

A seguir você encontra alguma sugestão dos tipos de vinhos que podem combinar com determinados tipos de queijos.

Queijos leves e frescos

Muçarela de búfala, minas frescal, boursin, ricota. Vinhos brancos frescos e jovens, como um Sauvignon Blanc, um Bordeaux branco, um Viognier,, vinhos de Verdelho, Viura e Alvarinho, Chardonnay sem passagem por madeira, espumantes brut ou demi-sec. Vinhos rosados ou clarets.

Queijos de leite de cabra

Boursin, feta e chèvre. Vinhos brancos aromáticos, como o Sauvignon Blanc, Viognier, Torrontés, Moscatel, Malvasia, Gewürztraminer. Queijo de cabra cubrado, Pecorino, Manchego. Vinhos tintos intensos de Tempranillo, Touriga Nacional, um Chianti Clássico, Primitivo, um Syrah..

Queijos Macios

Brie, Camembert, Saint Paulin, Pont l’Êveque. Chardonnay com passagem por barricas, Chablis, Viognier, Chenin Blanc. Tintos de Merlot, Pinot Noir, Tempranillo, Cabernet Franc, Malbec

Queijos de Massa Firme

Edam, Cheddar, Maasdam, Bel Paese, Gouda, Provolone, Gruyère, Ementhal, Fontina, Tilsit. Vinhos brancos intensos. Tintos de Malbec, Merlot, Tempranillo, Cabernet Franc, Chianti, tinto alentejano, Cabernet Sauvignon, Barbera.

Queijos Curados

Grana Padano, Pecorino, Canastra curado, Parmigiano Reggiano, queijos holandeses curados. Vinhos tintos encorpados, de preferência maduros. Cabernet Sauvignon, Bordeaux, Syrah, tinto Alentejano ou do Douro, Chianti Riserva, Brunello di Montalcino, Amarone. Vinhos doce naturais.

Queijos Azuis

Gorgonzola, Roquefort e Bleu d’Auvergne, entre outros. Tintos potentes com taninos macios, Primitivo, Priorat, Syrah, Amarone. Vinhos doces naturais em geral.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...