Pão & Vinho

Conheça os tipos de vinho, as características de cada um, as maneiras de harmonizar a bebida com as mais variadas refeições.


Saiba como combinar queijos e vinhos

Conheça alguns vinhos que podem combinar com diferentes estilos de queijos

Queijos e vinhos são as grandes estrelas do inverno. Não há casamento melhor para estimular encontros, embalar conversas e aquecer o corpo no período. Apesar de parecerem feitos um para o outro, queijos e vinhos têm particularidades que muitas vezes podem complicar boas combinações enogastronômicas. Portanto, é importante buscar vinhos que tenham sinergia com as diferentes tipologias dos queijos.

Contrariando o que muitos pensam, vinhos doces naturais são os melhores companheiros para queijos, que têm tendências ácida, doce, amarga e salgada. Vinhos doces aparam estas arestas e fazem gostosos casamentos. Os franceses sabem muito bem disso. Eles costumam encerrar uma refeição com uma variada tábua de queijos e um bom cálice de um Sauternes ou Banyuls. Vale o exemplo.

Veja alguns casamentos que valorizam tanto o gosto dos queijos como dos vinhos:

Minas frescal, ricota, muçarela de búfala, queijo de leite de cabra

Brancos de Sauvignon Blanc, Verdicchio, Riesling, Chardonnay sem barrica, Trebbiano, Arinto, entre outros.

Brie, Cammembert, Saint Paulin

Brancos embarricados de Chardonnay, um espanhol de crianza, Vernaccia di San Gimignano, brancos portugueses da Bairrada, um belo Alvarinho.

Tintos frescos de Pinot Noir, Gamay, um Dolcetto italiano, um Sangiovese leve ou Chiante básico.

Gouda, Gruyère e Ementhal

Brancos estruturados.

Tintos de médio corpo, de Merlot, Malbec, Tempranillo, Touriga Nacional, Chianti.

Grana Padano, Parmigiano Reggiano ou Parmesão, Canastra  

Brancos frescos e potentes de Sauvignon, Riesling, Alvarinho, Grilo e Inzolia.

Tintos encorpados e macios, inclusive envelhecidos. Supertoscanos italianos, Barbaresco, tinto alentejano, espanhol de reserva, Cabernet Sauvignon.

Gorgonzola, Roquefort

Tintos com taninos muito macios e potência gustativa. Barolos, Supertoscanos, Douro DOC, um Priorat.

Vinhos doces naturais, preferencialmente tintos.

Segue sugestão de um agradável vinho doce, de excelente relação preço x qualidade, para acompanhar queijos.

Alambre Moscatel de Setúbal 2010 – José Maria da Fonseca – Península de Setúbal – Moscatel de Setúbal DOC – Portugal

100% Moscatel de Setúbal. Cor âmbar leve. Deliciosas notas de frutas secas, damascos, figos, tâmaras, toques de casca de laranja confitada, resina de pinheiro. Agradável acidez, bem equilibrada com o açúcar residual, intenso, untuoso, agradável (Decanter).