Tintos das altitudes catarinenses envelhecem muito bem

Os vinhos elaborados nas altitudes catarinenses já mostram, mais claramente, seus estilos e longevidade. Os brancos estão bem delineados. A Sauvignon Blanc é, sem dúvida, a uva emblemática da região. A Chardonnay gera vinhos frescos, com ou sem passagem por barricas. Brancos de outras uvas começam a se revelar, como das variedades italianas Garganega e Ribolla Gialla. Os rosés estão consolidados como vinhos identificados com a região. Isso vale também para os espumantes rosados. Dezesseis anos depois de iniciada a experiência vitivinícola na região, os tintos mostram a que vieram. São vinhos com boa estrutura, austeros nos primeiros anos de garrafa, com taninos e acidez mais presentes. Com o tempo amaciam, ganham equilíbrio e maior complexidade. Muitos dos rótulos de vinhos tintos produzidos nas altitudes têm excelente potencial de guarda.

Costumo guardar vinhos. Gosto de acompanhar a evolução das garrafas e de tomar vinhos maduros. Guardei vinhos das primeiras safras de algumas vinícolas catarinenses de altitude. O resultado, ao abri-las, surpreendeu. E me levaram a fazer essas observações. Os tintos mais estruturados mostraram excelente evolução, tantos varietais como vinhos de corte. Eles chegaram aos dez anos na garrafa com resultados muito interessantes. Claro, as garrafas foram bem guardadas, em adega. Isso é fundamental para o bom envelhecimento de um vinho.

Venho provando ultimamente alguns tintos já maduros das altitudes catarinenses. Divido com vocês as notas de prova de alguns deles.

Um tinto que ganhou muito com o tempo – Foto: Divulgação Vinícola Iragami

Torii Cabernet Sauvignon 2008 – Vinícola Hiragami – São Joaquim

Cabernet Sauvignon. Doze meses em barricas. Cor rubi com reflexos granada. Aromas de frutas negras, amora, ameixa; notas tostadas, café, especiarias, pimenta preta, ervas em infusão. Acidez agradável, amadeirado e macio no paladar.

Outro tinto longevo – Foto: Divulgação

Villaggio Bassetti Primiero 2009 – Villaggio Bassetti – São Joaquim

Cabernet Sauvignon. Fermentação e estágio de 22 meses em barricas. Cor vermelho rubi. Aromas de frutas vermelhas e negras, amora, cassis, ameixa, notas de especiarias, baunilha, pimenta preta, leve herbáceo, tabaco. Acidez equilibrada, madeira no paladar, taninos finos.

Um dos vinhos de guarda da Villa Francioni – Foto: Divulgação VF

VF Tinto 2009 – Villa Francioni – São Joaquim

Cabernet Sauvignon, Merlot, Cabernet Franc e Malbec. Quatorze meses em barricas. Cor rubi com halo granada. Aromas de frutas negras, cerejas, amoras. Notas tostadas, café, especiarias, baunilha, pimenta negra, alcaçuz, couro, leve balsâmico. Acidez firme, corpo agradável, taninos finos, longo.

Um dos primeiros tintos da Quinta da Neve – Foto: Divulgação Decanter

Quinta da Neve 2009 – Quinta da Neve – São Joaquim

Cabernet Sauvignon. Doze meses em barricas. Cor rubi com halo alaranjado. Aromas de frutas vermelhas, ameixa, framboesa, especiarias picantes, pimenta, couro, leve herbáceo. Acidez equilibrada, frutada, taninos finos, boa persistência.

O tempo completando o trabalho do enólogo – Foto: Divulgação vinícola Urupema

 

Leopoldo 2009 – Vinícola Urupema – Urupema

Corte de 60% de Cabernet Sauvignon, 40% de Merlot. Dez meses em barricas. Cor vermelho rubi. Aromas de geleia de frutas vermelhas, notas de especiarias, baunilha, pimenta preta, sutil toque herbáceo. Ótima acidez, frutado no palato, corpo médio, taninos presentes e finos.

Sai um negroni pra viagem?

Drinques variados para viagem – Foto: Foto João Lombardo

A pandemia consolidou o delivery na área de alimentação. Nunca se entregou tanta comida como atualmente. Mas o isolamento também levou outros setores a inaugurarem o serviço de delivery. Entre eles, o setor de bebidas.  Alguns bartenders decidiram fazer do limão uma gostosa caipirinha. Como o argentino Lucas Tomás Gomes, que há quase dois anos trabalha em Florianópolis. Ele criou a marca Alchemy Coktails e um serviço de entrega em domicílio. Na carta, clássicos como o Rabo de Galo, o Daiquiri e o Negroni. E boas criações, como o Quentão Mineiro, diferente do tradicional, feito com cachaça, licor de laranja, especiarias e solução cítrica. Tudo chega muito bem envasado e embalado. Para entregas no mesmo dia, pedidos devem ser feitos diariamente até as 12 horas. Depois disso, para o dia seguinte (pedidos: instagran @alchemy.cocktails ou (48) 988035016).

+

Últimas notícias