Vinho barricado tem seu valor, mas outros tipos também têm

Sommelier alerta que consumidor deve estar atento e não se iludir com preços acessíveis de produtos envelhecidos em barricas de carvalho

Barricas servem para melhorar vinhos que já são considerados muito bons – Foto: DivulgaçãoBarricas servem para melhorar vinhos que já são considerados muito bons – Foto: Divulgação

Se em seus passeios de férias você gosta de garimpar diferentes vinhos e descobrir detalhes e curiosidades sobre a bebida, nós te contamos um pouco sobre a produção em barricas.

A ShowMe é uma referência em informações sobre turismo para quem escolheu suas rotas por Santa Catarina.

Conta a história que o carvalho, madeira da qual  são feitas as barricas, teve seu uso popularizado na idade média. Na época, seria utilizado para estocar muitas coisas, além de líquidos.

Mas diz-se que foram os romanos que descobriram os benefícios que a barrica pode trazer ao vinho, como por exemplo amaciar os taninos, que são  compostos naturais, também conhecidos como polifenóis, que existem no interior de cascas de uvas, sementes e caules.

As barricas também têm a função de trazer mais equilíbrio à bebida e adicionar alguns aromas, um dos pontos principais da técnica de produzir vinhos que passam pelas barricas de carvalho.

Fique atento ao comprar a bebida

A dica desta vez é ficar atento, quando em seus passeios você encontra um vinho de R$ 30 ou R$ 40 e em seu contrarrótulo diz “…este vinho permaneceu por 3 meses em barricas de carvalho francês (ou americano) conferindo-lhe notas de baunilha, etc”.

Quem revela é o sommelier Sidney Lucas, da Enoteca Decanter. Existem centenas de tipos de Carvalho, mas apenas algumas espécies interessam de fato para a tanoaria (fabricação de barricas).

Esta prática traz benefícios às bebidas devido à porosidade da madeira, que permite uma micro-oxigenação ao vinho ali guardado, tornando-o mais “redondo”, menos agressivo; também auxilia na estabilização da cor – em especial dos tintos. O estágio do vinho na barrica serve para “domá-lo” e torná-lo ainda melhor, mais rico.

Não é qualquer vinho que tem condições de passar por madeira. O vinho precisa nascer ‘grande’ para que a barrica o deixe maior ainda. Ou seja, a dica é que vinhos envelhecidos em barris de carvalho não são baratos.

Os chips de carvalho

Chips de carvalho são opção mais em conta e que também podem melhorar vinhos – Foto: DivulgaçãoChips de carvalho são opção mais em conta e que também podem melhorar vinhos – Foto: Divulgação

Existe uma fórmula para os vinhos baratinhos apresentarem alguns aromas de carvalho, mais em conta que as caras barricas, os chips de carvalho, que podem ter a forma de cubos, lascas, tábuas ou serragem. São mergulhadas nos tanques de inox permanecendo ali até que algumas características da madeira sejam transmitidas ao vinho.

“Na minha opinião, quando usados com critério, não há demérito algum, tampouco é desonesto usar chips de carvalho para dar uma melhorada nos vinhos simples. Já bebi inúmeros vinhos produzidos assim e achei muitos deles excelentes pela proposta que traziam, o erro está em fazer uso desta prática e não informar adequadamente ao consumidor, vendê-lo como se fosse barricado”, diz Sidney. Então, é melhor ficar atento.

Mas quem disse que vinho bom é só o vinho barricado!? Sidney reforça que a barrica serve para agigantar ainda mais o gigante.“É como maquiagem em moça bonita, deve apenas realçar sua beleza! Não precisa supervalorizar o carvalho, não é ele quem faz o bom vinho, e sim, todo um contexto que o cerca desde o vinhedo”, esclarece.

Foto: DZ Fotografia/NDFoto: DZ Fotografia/ND

Exemplos de grandes vinhos que não passaram por barricas

Caso tenha ficado curioso e queira conferir se existem mesmo grandes vinhos sem passagem por barricas a Enoteca Decanter tem alguns produtores em seu catálogo, que aboliram o carvalho de suas cantinas.

O mais revolucionário enólogo do Chile e um dos 30 mais influentes do mundo pela Decanter inglesa, Marcelo Retamal, se estabeleceu no Vale de Elqui para dar forma a um projeto incrível chamado Viñedos de Alchohuaz. Estes vinhos totalmente naturais nascem com mínima intervenção no vinhedo e na adega, uma gruta de pedra perfurada na montanha. 

Foto: DZ Fotografia/NDFoto: DZ Fotografia/ND

Seus vinhos alcançaram pontuações altíssimas no principal guia especializado chileno, o Guia Descorchados.

Outro que merece destaque é Alessandro Dettori, um dos produtores mais originais e respeitados da Sardegna. Seus vinhos não são barricados.

Segundo o sommelier, assim como a maquiagem em proporção exagerada pode encobrir a beleza de uma moça e torná-la exuberante demais, a barricagem ou uso dos chips por períodos muito longos também encobrirá a essência do vinho. Mas isso tudo pode ser muito bem ilustrado com um ditado popular de Minas Gerais, que diz que bonitinho demais fica feio. 

A Enoteca Decanter oferece um catálogo com os melhores vinhos, inclusive os que não são barricados. A Decanter é parada obrigatória em sua rota de férias para adquirir vinhos de qualidade, porque sempre há um pouco mais para aprender sobre esta e outras bebidas deliciosas.

Explore mais conteúdos da cidade