Alargamento da praia de Balneário Camboriú: veja linha do tempo da obra, de 1970 a 2021

Nova praia inaugura neste sábado (4), mas obra já é assunto e desejo da população desde os anos 1970

A obra de alargamento da Praia Central de Balneário Camboriú será inaugurada neste sábado (4), marcando o fim de um processo que começou já na década de 1970, e foi concluído em outubro deste ano. A nova praia de Balneário Camboriú promete ser o ponto mais visitado da cidade nesta temporada.

Já alargada, Praia Central de Balneário Camboriú deve ser o ponto mais visitado deste verão – Foto: Prefeitura de Balneário Camboriú/DivulgaçãoJá alargada, Praia Central de Balneário Camboriú deve ser o ponto mais visitado deste verão – Foto: Prefeitura de Balneário Camboriú/Divulgação

“Esta é a conclusão de uma obra histórica e exitosa em todos os sentidos, que está servindo de incentivo e farol a obras de proteção costeira em todo Brasil. Foi uma obra rápida e muito bem executada que realizou o sonho acalentado pela população de Balneário Camboriú por décadas”, comemora o prefeito, Fabrício Oliveira (Podemos).

“Muitos achavam que era irrealizável, ou ficção, mas está aí o resultado, maravilhoso e realizado, a nova Praia Central de Balneário Camboriú, a renovação do nosso cartão-postal primeiro, convidando as pessoas e se transformando num dos principais atrativos, entre tantos, para a retomada da economia e para a supertemporada 2021/2022”, finaliza.

As conversas começaram quando as ressacas que ultrapassavam a areia e invadiam a Avenida Atlântica começaram a se tornar cada vez mais frequentes, nos anos 1970. Uma das soluções encontradas para resolver esse problema foi aumentar o espaço da areia, o que ainda daria mais espaço para os banhistas.

Anos 1990

Um projeto do geólogo costeiro Ricardo Ayup-Zouain foi apresentado só em 1990, mas o estudo de viabilidade era muito caro. Em 1994, a Univali realizou os primeiros estudos e pesquisas sobre o ambiente costeiro e o alargamento da praia.

Vista geral da Praia, 1992 – Foto: Arquivo Histórico de Balneário CamboriúVista geral da Praia, 1992 – Foto: Arquivo Histórico de Balneário Camboriú

Anos 2000

A cidade cresceu, ainda mais para cima. Os prédios ficaram cada vez mais altos e a sombra começou a tomar a praia. Em 2000, o INPH (Instituto Nacional de Pesquisas Hidráulicas) apresentou uma proposta técnica para o alargamento e o assunto começou a ganhar espaço na mídia local, e a sombra dos prédios foi um dos motivos para a popularidade do assunto.

Em 2001, um plebiscito foi feito para saber a opinião da população sobre a obra. A maioria da população votou a favor da obra, com 4.752 votos contra 1.759 contrários.

Registro da praia Central de Balneário Camboriú em pleno inverno de 2021, antes do alargamento começar – Foto: Arquivo/Bruno Golembiewski/NDRegistro da praia Central de Balneário Camboriú em pleno inverno de 2021, antes do alargamento começar – Foto: Arquivo/Bruno Golembiewski/ND

Anos 2010

A LAP (Licença Ambiental Prévia) só foi concedida em 2018. Ao todo, foram 6 licitações para atender 42 condicionantes ambientais.

> Veja tudo sobre o alargamento da Praia Central

O edital para a obra de recuperação foi lançado em 2019, e em 2020 o consórcio DTA/Jan de Nul foi anunciado como o ganhador da licitação. No mesmo ano, a LAI (Licença Ambiental de Instalação) foi concedida, o que possibilitou o início das obras. Com R$ 85 milhões orçados, o contrato foi assinado por R$ 66,8 milhões.

Última etapa da obra de alargamento da praia Central de Balneário Camboriú – Foto: Secom BC/DivulgaçãoÚltima etapa da obra de alargamento da praia Central de Balneário Camboriú – Foto: Secom BC/Divulgação

A obra só começou em março de 2021, com a chegada dos primeiros tubos para montagem da estrutura. O local escolhido como canteiro de obras foi o Pontal Norte, que se tornou praticamente um ponto turístico.

A grande estrela da obra, a draga Galileo Galilei, chegou em 22 de agosto, vinda do Oriente Médio. Foi quando a areia de uma jazida a 15 Km da costa começou a ser colocada na praia. Em pouco tempo, o cenário mudou: a praia ficou maior e particularidades como aparecimento de tubarões e pessoas ficando presas na areia começaram a acontecer.

Foto aérea mostra faixa de areia alargada após obra – Foto: Divulgação/Secom BC/NDFoto aérea mostra faixa de areia alargada após obra – Foto: Divulgação/Secom BC/ND

Reestruturação da orla não acabou

Depois da temporada, começa uma nova etapa da reestruturação da orla. Com o objetivo de recuperar a estrutura que a praia tinha antes, mais de 33 mil mudas de cerca de nove espécies de plantas de restinga devem ser plantadas na orla.

Segundo a secretária do Meio Ambiente de Balneário Camboriú, Maria Heloisa Furtado Lenzi, a escolha das plantas que vão compor a restinga leva em consideração o sombreamento da praia, que, em Balneário Camboriú, acontece por volta das 15h.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Infraestrutura

Loading...