Alívio para o trânsito da Grande Florianópolis, Contorno Viário está a 2 anos da conclusão

A obra, que deveria ter sido concluída em 2012, tem previsão de ser entregue em dezembro de 2022; 34 dos 50 quilômetros estão em execução

Todos os dias as constantes e irritantes filas são motivo de reclamações, atrasos e acidentes. Mas é no verão, durante a alta temporada, que a situação consegue piorar e o que ainda não existe faz uma enorme falta. Se estivesse pronto, conforme o projeto inicial, o Contorno Viário da Grande Florianópolis daria fluidez ao vai e vem de veículos que circulam pela BR-101.

Obra tem o objetivo de desafogar o trânsito na BR-101 – Foto: Anderson Coelho/ND

A obra que deveria ter sido concluída em 2012 tem previsão de ser entregue em dezembro de 2022. De acordo com a Arteris Litoral Sul, concessionária responsável pela BR-101 e pelo Contorno Viário, 34 dos 50 quilômetros da obra estão em execução.

Entre os trechos entregues está o viaduto da SC-407, rodovia estadual que liga os municípios de Biguaçu e Antônio Carlos e é utilizada também por moradores de São Pedro de Alcântara. Com a conclusão do viaduto e a liberação do trânsito no local, em dezembro passado, a obra naquela área está em execução sem interrupções e transtornos para motoristas.

Esse é o segundo viaduto do Contorno Viário entregue pela concessionária. O outro, concluído em 2017, está localizado na SC-281 em São José – sendo utilizado para acessar, também, o município de São Pedro de Alcântara.

Atualmente, segundo a Arteris, estão em execução pavimentação, geotecnia, terraplenagem, implantação de pontes, viadutos e obras de drenagem.

Paisagens e máquinas

Em Biguaçu, próximo as localidades de Estiva e Sorocaba, está outro canteiro de obras do contorno. No km 178 operários e máquinas trabalham tendo como fundo a paisagem verde, com plantações, pastos e animais.

Em Biguaçu, no Km 78, máquinas e homens trabalham na obra que já recebeu mais de R$ 1 bilhão de investimento – Foto: Anderson Coelho/ND

Próximo a eles, o aposentado José Meurer observa a movimentação da varanda da casa. De poucas palavras, Meurer conta que mora no local há 50 anos onde já teve roça de milho, aipim e cana de açúcar. “Hoje tenho pouca coisa, não dá para ter mais nada como antes”, diz.

O aposentado está entre as pessoas que teve o imóvel desapropriado e recebeu indenização. “Querer ficar sem minha terra eu não queria, mas o que eu podia fazer? É preciso abrir a passagem mesmo, então está tudo certo”, conclui.

Próximos passos

A construção do Contorno Viário de Florianópolis foi retomada no ano passado quando uma nova construtora assumiu a obra. No final de 2019, segundo a Arteris, o contorno atingiu o pico de mão de obra, com cerca de 1,3 mil operários atuando em diversas frentes de trabalho simultâneas ao longo de 34 quilômetros em obras, o que representa 70% dos 50 km da estrutura viária.

Para 2020, a previsão é a conclusão das obras de arte especiais em andamento – que são estruturas como pontes e passagens em desnível e drenagens, entre outras.  De acordo com o planejamento, a pavimentação asfáltica nos trechos onde a terraplenagem está em finalização deve ser iniciada nesse primeiro trimestre.

A obra em números

  • Terraplenagem: 3,4 milhões de m3 de aterro realizado
  • Implantação de geodrenos: 1,3 milhão de metros realizados
  • Desmonte e escavação de rochas: 415 mil m3 realizados
  • Investimentos: ultrapassam R$ 1 bilhão.

Moradores aguardam pela inauguração

Em Palhoça, um dos municípios mais afetado pelo tráfego de veículos pesados, ainda não há obra. Atualmente, os trechos do contorno em execução são em Biguaçu e São José. Mas longe das máquinas e da poeira, um pequeno grupo discute o andamento da construção, mesmo sem saber quando será iniciada.

Luiz Carlos e Janete Silva não acreditam na conclusão para 2022 – Foto: Anderson Coelho/ND

Os vizinhos Luiz Carlos de Souza, Janete Silva e José Pedro da Silva moram no bairro Aririu, próximo a Guarda do Cubatão, em Palhoça. “Será se em 2030 sai?”, brinca José Pedro. “Eu acho que isso ainda vai longe”, avalia.

Apesar da descrença de ver o contorno “passando na porta”, o aposentado quer ver acontecer. “Nós queremos a obra, porque vai melhorar para todo mundo, mas está muito demorado. Será a nova Ponte Hercílio Luz?”, questiona, rindo da própria comparação.

Tranquilidade no trânsito

Luiz Carlos tem um comércio que herdou dos avós na rua José Marcelino Coelho. Para ele, quando o contorno estiver em pleno funcionamento toda a comunidade será beneficiada. “Vamos ter tranquilidade no trânsito”, acredita.

Janete Silva, que é irmã de Luiz, aguarda a tranquilidade voltar para a rua Jorge Marcelino. “O trânsito aqui piorou muito nos últimos anos. É o tempo todo assim (aponta para os carros), não para. Acho que o contorno vai acabar com isso”, comenta.

Na região de Palhoça serão construídos três túneis, cuja data de início da construção está em fase de definição conjunta com o Ministério da Infraestrutura e a concessionária.

O contorno

Planejado para desviar o trânsito pesado das áreas urbanas, o traçado do contorno viário passa pelos municípios Biguaçu, São José e Palhoça. São quase 51 quilômetros de estrada cujo primeiro contrato para execução da obra foi assinado em 2008.  Foram várias paralisações até a retomada da construção em janeiro do ano passado.

O traçado do contorno tem 14 pontes, 20 passagens de nível, seis trevos e quatro túneis duplos. Quando concluída, a obra representará uma alternativa para o tráfego de longa distância, funcionando como um corredor expresso com velocidade operacional de 100 km/h e desafogando o trânsito da rodovia BR-101 na região metropolitana de Florianópolis.

Leia também:

Assine o Abaixo Assinado do Contorno Viário Já

Assine o abaixo-assinado digital e ajude a transformar a mobilidade da Grande Florianópolis

Imagem Assine o Abaixo Assinado do Contorno Viário Já
+

Contorno Viário Já