Após ‘degraus’, entenda por que praia de Balneário Camboriú perderá areia para o mar

Engenheira explica como a acomodação da areia transportada pela draga Galileo Galilei tem sido feita de forma natural, causando degraus na orla da praia Central

Desde o início das obras de alargamento da praia Central de Balneário Camboriú no Litoral Norte de Santa Catarina, a cidade tem repercutido com inúmeras “polêmicas” sobre a mega obra que triplicou o tamanho da praia, a da vez são os “degraus” de areia na orla.

Além de degraus, buracos também aparecem em algumas partes da praia, porém ao contrário do que muita gente imagina que seja, “o mar tomando o que é dele”, o processo é natural e nada mais é do que “a natureza trabalhando por nós”, conforme explica a engenheira ambiental Maria Heloísa Lenzi, que atua como secretária de Meio Ambiente em Balneário Camboriú.

Mas sim, parte da areia da praia de Balneário Camboriú voltará para o mar, porém, uma parte prevista e controlada que de acordo com a engenheira, “escorregará para o mar”, tudo isso através da força da natureza.

Degraus na praia de Balneário Camboriú são causados por força da natureza – Foto: Reprodução/InternetDegraus na praia de Balneário Camboriú são causados por força da natureza – Foto: Reprodução/Internet

“O restante do espalhamento da areia na parte submersa tem que ser feito pelos movimentos dos ventos, correntes e marés. É a natureza trabalhando por nós. Em resumo, uma parte da areia que foi colocada na praia, vai escorregar para dentro do mar para manter a baixa declividade. tudo isso está dentro do planejado”, destaca Heloísa.

Porém, para entender este movimento é preciso analisar a obra desde o transporte de mais de 1 milhão de metros cúbicos de areia pela draga Galileo Galilei. A começar pela construção, Heloísa explica que a praia foi construída em duas partes, emersa e submersa.

Draga do alargamento volta a Balneário Camboriú após abastecer no Paraná

“Essas porções variam de largura em virtude das marés baixas e altas em diferentes dias e épocas do ano. A praia submersa de Balneário Camboriú se estende por aproximadamente 350m para dentro do mar. Toda essa extensão de areia que não vemos, mantém o equilíbrio da parte emersa, parte de areia que vemos”, destacou a secretária.

“Fenômeno” é normal e causado pela própria ação do mar – Foto: Ivan Rupp“Fenômeno” é normal e causado pela própria ação do mar – Foto: Ivan Rupp

Ainda de acordo com Heloísa, para que haja um equilíbrio entre a parte emersa e submersa, uma compensação inicial de areia é necessária. “Para que possamos manter a parte emersa dentro da largura projetada é necessário haver um volume muito maior de areia na parte submersa. Como a colocação de areia foi feita de forma mecânica, utilizando a draga e o maquinário em terra, há um limite até onde essa areia poderá ser empurrada para dentro do mar, máquinas não podem adentrar 350m”.

O que falta de espalhamento de areia necessário na praia de Balneário Camboriú é feita de forma natural, com a influência do vento, ondas e marés.

Esse processo, no entanto, ainda não começou, ou seja, a praia de Balneário Camboriú ainda não perdeu areia para o mar. Os degraus são fenômenos naturais que ocorrem em praias alargadas ou não em todo Litoral Norte de Santa Catarina.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Infraestrutura

Loading...