Casan avança no processo licitatório para construção da ETE Potecas

Nova estação foi dimensionada considerando uma população de 328.494 habitantes para a primeira etapa do projeto e 437.992 habitantes na segunda etapa

A unidade atual tem capacidade de vazão média de 423 L/s. O novo projeto prevê, na primeira etapa, capacidade de tratar uma vazão média de aproximadamente 600 L/s e, na segunda etapa, 800 L/s – Foto: divulgação.A unidade atual tem capacidade de vazão média de 423 L/s. O novo projeto prevê, na primeira etapa, capacidade de tratar uma vazão média de aproximadamente 600 L/s e, na segunda etapa, 800 L/s – Foto: divulgação.

A Casan cumpriu na manhã desta quinta-feira novas etapas fundamentais para construção daquela que será uma das maiores estações de tratamento de esgotos de Santa Catarina, a ETE Potecas, em São José.

Em continuidade ao processo licitatório e em seção presencial, foram recebidas as documentações de credenciamento e propostas de preços dos concorrentes. Foi também realizada disputa de preços para obtenção do melhor valor para implantação do empreendimento. O melhor valor foi oferecido pelo Consórcio Cosatel-Enfil, que agora terá a documentação avaliada pela área técnica da Companhia.

Participam também do processo a Itajui Engenharia de Obras Ltda e o Consórcio CTL, formado pelas empresas CTL Engenharia Ltda, KGM Construtora Eireli e Melhor Forma Construtora Ltda.Na segunda-feira, uma nova seção presencial será realizada para divulgação do parecer da Casan.

Planta ETE Potecas – Foto: divulgaçãoPlanta ETE Potecas – Foto: divulgação

Nova unidade com tecnologia avançada

A nova Estação de Tratamento de Esgotos de Potecas vai promover uma transformação na localidade. As lagoas de estabilização serão desativadas e substituídas por uma moderna ETE, com tecnologia avançada para garantir a qualidade do efluente tratado e o controle de odores.

A Estação de Tratamento de Esgotos de Potecas foi construída na década de 80 e, na época, a região era desabitada. Com o crescimento da cidade ao longo dos anos, tornou-se necessária a mudança no local.

Hoje a Estação opera com o processo de tratamento por lagoas de estabilização. A nova unidade utilizará sistema de lodos ativados por aeração prolongada, com nitrificação e desnitrificação simultânea, controle de odor e remoção complementar de fósforo.

Além de nova tecnologia que irá aprimorar o sistema e quase dobrar a capacidade de tratamento, a desativação das lagoas de estabilização vai trazer mais qualidade de vida para a população. O planejamento prevê que o local onde hoje existem as lagoas passe por recuperação ambiental, dando lugar a um parque urbano, com áreas de lazer e prática de esportes.

+

Casan, Sustentabilidade e Saneamento

Loading...