Como a educação no trânsito pode garantir fluidez e segurança na BR-101?

Projetos de engenharia, investimentos e ações são pensadas para garantir a melhor performance da rodovia, mas a ação humana é fundamental para que tudo possa funcionar

Respeitar os limites de velocidade pode ajudar a evitar acidentes e garantir fluidez e segurança nas rodovias  – Foto: Getty Images/NDRespeitar os limites de velocidade pode ajudar a evitar acidentes e garantir fluidez e segurança nas rodovias  – Foto: Getty Images/ND

Projetos e mais projetos, pedidos para investimento em infraestrutura e humanização das rodovias, ações alternativas para desviar o fluxo intenso e torná-las mais fluídas e seguras. A preocupação existe e para uma das principais rodovias do país, o pedido constante de investimento para melhorar a performance e otimizar o serviço com o crescimento acelerado no ritmo de utilização, a FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina) elaborou um estudo e, a partir dele, a campanha “BR-101, SC não pode parar”, realizada em parceria com o Grupo ND. A proposta robusta traz dados e soluções para o atual cenário da rodovia que corta Santa Catarina de Norte e Sul pelo litoral.

Entre as propostas que têm como objetivo garantir a segurança e a eficiência da BR-101 em solo catarinense, estão obras importantes, como a construção de pontes e viadutos, readequação de acessos, implantação de faixas adicionais, entre outras.

Mas, para além das obras em infraestrutura, fundamentais para suportar o aumento da demanda na rodovia, a proposta quer humanizar a BR-101, rodovia federal com maior número de acidentes e mortes no estado. Para isso, todos precisam fazer a sua parte e a educação no trânsito é fator determinante.

Entre as ações de humanização está a intensificação de campanhas de educação de trânsito nas escolas e empresas, principalmente no ensino médio, que atua com jovens prestes a iniciar a vida como motoristas.

O número de mortes no trânsito no país reduziu durante a pandemia, mas ainda assim, 35 mil pessoas perderam a vida nas estradas brasileiras e a imprudência no trânsito é responsável pela maioria dos acidentes seja em perímetro urbano, seja em rodovias estaduais e federais. A BR-101 lidera o ranking negativo em Santa Catarina e os investimentos em infraestrutura são importantes, porém, é fundamental que os motoristas, motociclistas e pedestres, usuários da rodovia a utilizem de maneira consciente. Dados do Observatório Nacional de Segurança Viária apontavam, em 2019, que mais de 90% dos acidentes foram causados por falhas humanas.

<span style="font-weight: 400;">90% dos acidentes são causados por falha humana </span>&#8211; Foto: Getty Images/iStockphoto/ND90% dos acidentes são causados por falha humana – Foto: Getty Images/iStockphoto/ND

O tráfego na BR-101 precisa de obras capazes de garantir a fluidez e a segurança, mas as escolhas e ações humanas são tão responsáveis quanto os desafios estruturais e, por isso, a educação no trânsito é fundamental para garantir a união entre investimento, obras, alternativas e um trânsito seguro produzido a partir das decisões dos usuários.

Imagine o congestionamento da BR-101 no entorno de São José, na Grande Florianópolis, no horário de pico da manhã. Os engarrafamentos são constantes e produzidos pela falta de estrutura alternativa capaz de garantir a fluidez de um trânsito que se confunde entre o urbano e o rodoviário. Se a situação já é complicada naturalmente, some a isso um acidente causado pela imprudência e pressa do motorista. A receita só tem um resultado: caos.

<span style="font-weight: 400;">O engarrafamento já é comum em horários de pico na Grande Florianópolis e São José, situação se agrava quando há algum acidente </span>&#8211; Foto: José Somensi Fotografia/NDO engarrafamento já é comum em horários de pico na Grande Florianópolis e São José, situação se agrava quando há algum acidente – Foto: José Somensi Fotografia/ND

A humanização da rodovia e da mobilidade passa por ações simples, como direção defensiva, respeitar o limite de velocidade, não utilizar o celular enquanto dirige, utilizar a pista correta, deixando a esquerda livre, utilizar cinto de segurança em qualquer ocasião, entre outras medidas que podem garantir segurança e fluidez no trânsito. Afinal, o investimento em infraestrutura é fundamental, assim como cada um fazendo a sua parte para tornar a BR-101 mais segura e humana.

A humanização da rodovia é um dos temas da campanha “BR-101 do futuro, SC não pode parar”, da FIESC e do Grupo ND, e que traz ações e planejamento embasado para garantir a segurança e a eficiência na BR-101, coração da economia catarinense.

+

BR-101 – SC não pode parar

Loading...