Como o uso racional da água pode reduzir os impactos da crise hídrica?

Os níveis de água estão abaixo da média histórica desde 2019 em Santa Catarina e o uso consciente pode reduzir a pressão nas reservas; Educa SC debate o tema nesta quinta-feira (9)

A pior crise hídrica dos últimos 91 anos no Brasil reduziu para níveis críticos as reservas de água nas hidrelétricas do Centro-Oeste, Sul e Sudeste. Além da questão energética, a estiagem é uma realidade em muitas das regiões de Santa Catarina.

Com déficit hídrico em muitos locais, o uso consciente e racional da água reduz a demanda pelos recursos hídricos e pode ajudar a manter o controle da questão no Estado.

Falta de água tem levado à crise hídrica no setor energético brasileiro – Foto: Divulgação/ Norte Energia/ NDFalta de água tem levado à crise hídrica no setor energético brasileiro – Foto: Divulgação/ Norte Energia/ ND

“A estiagem virou uma rotina, uma realidade, não só para nós, o déficit hídrico de 2019 para cá é sempre abaixo da média histórica”, explica o gerente de políticas operacionais da Casan, Guilherme Campos.

Para o gerente, parte do problema está associado ao aquecimento global. A crise hídrica acende um alerta, mas ainda não atingiu de modo direto os 194 municípios atendidos pela Casan.

Dicas para uso racional da água

Guilherme lembra que o chuveiro é um dos principais vilões do consumo dentro de casa. Banhos mais curtos, fazer a barba na pia, manter o equipamento e as torneiras desligadas fora do uso são algumas sugestões.

Para a limpeza de casa, a dica do gerente é que sejam usados baldes e mangueiras. Usar a máquina de lavar na capacidade máxima, com todas as roupas dentro, e reutilizar a água em atividades como limpar o chão é mais um dos métodos que podem ser adotados.

Um exemplo é a Escola de Educação Básica de  São Ludgero, no sul do Estado. Ali o projeto Com-Vida reutiliza água da chuva para irrigar a horta mantida pelos alunos. A iniciativa está nos canais do Educa SC.

A escassez de recursos hídricos trouxe impactos diretos, como o aumento do preço da energia elétrica em diversos estados brasileiros. Com a luz mais cara, sobem também o preço dos alimentos que precisam do recurso para produção ou mesmo enquanto armazenados nos supermercados.

Crise hídrica no Educa SC

O programa Educação e Saúde dos canais Educa SC debate o tema na última quinta-feira (9). Participam do programa: Tally Ferreira Mansur, mestre em Geografia pela UFSC; Samyra Orben Herdt, assistente técnico pedagógico; e Eloise Schlickmann, professora de Ciências e Biologia.

A conversa vai ao ar nos canais do Educa SC, projeto da Secretaria de Estado da Educação (SED), que conta com apoio técnico e estrutural do Grupo ND.  O programa Educação e saúde vai ao ar a partir das 11h50.

Os canais para acompanhar o Educa SC são: 8.3 em Joinville; 10.3 em Blumenau; Itajaí no 7.3; em Florianópolis no 4.3; para Criciúma no 25.3; em Chapecó no 10.3; em Joaçaba no canal 26.3, para Xanxerê no 3.3.

+

Infraestrutura

Loading...