Conclusão da obra de duplicação da BR-470 deve ter novo atraso, diz DNIT

Até então, a expectativa do departamento e do Ministério da Infraestrutura era concluir a obra até o final de 2022, mas a falta de recursos deve atrapalhar o cronograma

O superintendente do DNIT/SC (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), Ronaldo Carioni Barbosa, afirmou nesta terça-feira (29) que a duplicação da BR-470, entre Navegantes e Indaial, deve ser concluída apenas em 2023. O motivo seria a falta de recursos.

Antes, a expectativa do DNIT e do Ministério da Infraestrutura para conclusão da obra era final de 2022.

Viaduto do Badenfurt, em Blumenau, é um dos principais gargalos da rodovia – Foto: Reprodução / NDTV BlumenauViaduto do Badenfurt, em Blumenau, é um dos principais gargalos da rodovia – Foto: Reprodução / NDTV Blumenau

“Estive conversando com a minha direção, o plano é entregar em maio ou junho do primeiro semestre do ano que vem os lotes 1 e 2. Os lotes 3 e o 4, o foco é entregar no final 2022, mas eu acredito que no início do ano de 2023 teremos a duplicação da BR-470”, explicou Carioni.

O superintendente ainda defendeu-se de ataques que estaria sofrendo por conta de um suposto impasse envolvendo a destinação dos recursos estaduais, aprovado recentemente na Alesc (Assembleia Legislativa de Santa Catarina).

Enquanto o Governo do Estado tem o desejo de investir os R$ 200 milhões na conclusão dos Lotes 1 e 2, entre Navegantes e Gaspar. Ronaldo Carioni Barbosa entende que seria melhor investir R$ 50 milhões em cada um dos quatro lotes.

Durante a reunião ele esclareceu que essa é apenas um opinião com base técnica e que o DNIT não participa da elaboração com o Governo Federal. “A gente nem opina, é questão política envolvida. Mas a gente é técnico, por isso falei de R$ 50 milhões em cada lote. Seria importante conseguir dar velocidade nos quatro lotes. É somente isso” explicou Carioni.

A declaração foi dada durante reunião virtual com lideranças empresariais e políticas do Vale do Itajaí, organizada pela Fecomércio/SC (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina).

Emílio Schramm, presidente do Comitê da BR-470 e vice-presidente da Fecomércio/SC, explicou que a reunião foi organizada pois a velocidade da obra preocupa a região.

“A obra está muito devagar. Sei que o principal motivo é o dinheiro, mas se compararmos, que nós arrecadamos R$ 7,4 bilhões em impostos [por ano] e essa é uma obra que, pela informação que eu tenho, era R$ 1,5 bilhões. Então, olhe bem, realmente nós estamos esquecidos”, lamentou.

Ainda segundo, Schramm, as lideranças empresariais da região fiscalizaram de forma mais rigorosa o andamento das obras. Uma nova reunião está marcada para o próximo dia 27 de julho, às 8h.

Promessa de recursos

Durante visita a Santa Catarina, na semana passada, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que em breve o Governo Federal deverá disponibilizar cerca de R$ 200 milhões para as rodovias federais do estado.

Boa parte deste recurso, segundo o ministro, deve ser direcionado para as obras de duplicação da BR-470, entre Navegantes e Indaial. “A gente vai realmente aportar recursos lá, vai procurar dar uma impulsão, temos todas as condições de estar com os lotes 1 e 2 [concluídos] até o final do primeiro semestre do ano que vem e avançar bastante nos lotes 3 e 4”, garantiu Freitas.

Impacto na economia

Um estudo realizado pela Fecomércio/SC revelou que o impacto do atraso nas obras de duplicação da BR-470 vai muito além das estatísticas de mortes e acidentes no trânsito. A economia também é afetada de forma negativa.

Em 2018, o PIB (Produto Interno Bruto) das cidades próximas à BR-470 foi de aproximadamente R$ 31 bilhões. Enquanto municípios próximos da BR-101, por exemplo, registraram R$ 51 bilhões, quase o dobro.

Preocupação com manutenção

Além da duplicação, o deputado Esatdual, Ismael dos Santos (PSD) demonstrou preocupação com o estado de conservação da rodovia. Na última semana, ele precisou trocar o pneu do carro após passar por um buraco da rodovia, entre Indaial e Ibirama.

De acordo com Carioni, o pavimento neste trecho está degradado, mas ainda neste ano, o DNIT espera fazer a recuperação da via. “Essa é a nossa programação, aí sim, não vamos ter mais problema como os que estamos atravessando hoje”, garantiu o superintendente.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Infraestrutura

Loading...