Construção de parque infantil vira dor de cabeça para moradores de bairro de Florianópolis

A chamada “Praça Feliz” ou “Parque de Aventuras”, no bairro da Daniela, precisará ser regularizada junto a prefeitura

A construção de um parque com brinquedos para crianças no bairro da Daniela, em Florianópolis, acabou virando motivo de dor de cabeça para a comunidade no local. Após denúncias, a prefeitura pediu que a estrutura fosse desmontada nesta semana. Agora, moradores tentam regularizar a situação do local.

Praça era o local favorito das crianças da região – Foto: Arquivo pessoalPraça era o local favorito das crianças da região – Foto: Arquivo pessoal

A chamada “Praça Feliz” ou “Parque de Aventuras” começou a ser construída por um morador do bairro no fim de 2019. O local fica na avenida das Palmeiras. Segundo moradores da comunidade, o terreno, onde foi feito o parque estava abandonado antes de o morador ter a ideia do projeto.

“O parquinho era bem legal, a criançada adora. No meio de 2020, entre junho ou julho, o rapaz que construiu o parque optou por ampliá-lo para uma segunda área, na frente da primeira, e foi aí que o problema começou”, explica Ana Caldas, responsável pela CCPontal, associação de moradores do bairro.

A construção de uma pista de bicicross acabou desencadeando o problema. Uma pessoa que também mora na região se sentiu incomodada e fez uma denúncia. Então, a Prefeitura de Florianópolis precisou intervir.

“Fizemos um abaixo-assinado pedindo para o parque ficar, tínhamos a intenção de adotar o espaço. Porém, devido às burocracias que isso envolve, teria que fazer um projeto, com engenheiro, arquiteto para encaminhar a prefeitura. Esse projeto não saiu e a adoção do espaço também não”, explica Andiara Galhardo Biazin, professor e moradora do bairro.

Estrutura montada na praça – Foto: Arquivo pessoalEstrutura montada na praça – Foto: Arquivo pessoal

“Nesse meio tempo a fiscalização veio por conta da denúncia e foi orientado que o criador do parque desativasse os brinquedos, porque qualquer coisa que acontecesse com uma das crianças, seria responsabilidade dele”, completa.

A reportagem do ND+ tentou contato com o responsável pela criação do parque, porém, o mesmo apenas afirmou que a tentativa de manter o parque começou e durou oito meses ate a demolição nesta semana.

Nova tentativa

Uma nova reunião no próximo sábado (29) vai discutir novamente a situação do local. “Vamos discutir o tema, verificar se houve alguma multa, a comunidade é super participativa, vamos conseguir das um jeito”, explica Caldas.

A prefeitura, por meio da Floram (Fundação do Meio Ambiente), informou que o requerimento de adoção de praças, parques e jardins para fins e manutenção e melhoria dos equipamentos de lazer e cultura se dá através de um protocolo online ou presencial, submetido ao crivo da Rede de Espaços Públicos.

Praça reunia milhares de crianças – Foto: Arquivo pessoalPraça reunia milhares de crianças – Foto: Arquivo pessoal

Entre os documentos obrigatórios estão o protocolo de manifestação de interesse, imagem aérea indicando o local, foto do local, RG e CPF do solicitante.

Já nos documentos opcionais, projeto e execução do local realizado por um profissional habilitado, jogo de plantas, levantamento planialtimétrico, CPF e RG do adotante, além de certidão negativa de débitos e comprovante da inscrição da situação cadastral da empresa.

+

BG Florianópolis

Loading...