Diretor interino da SCPar Porto São Francisco do Sul acumula quase R$ 60 mil em salários

Joel Alves recebe 26.589,68 como coronel da reserva; 19.428,14 como diretor da SCPar Holding; R$ 9.714,07 como interino do Porto de SFS, além de 2.719,93 como conselheiro do Porto de Imbituba

O atual gestor da SCPar Porto de São Francisco do Sul, Joel Alves, que assumiu interinamente este cargo após o pedido de exoneração da diretoria, no dia 22 de maio, acumula um salário de R$ 58.451,82.

Joel Alves assumiu, interinamente, o Porto de São Francisco do Sul, mas acumula o cargo na SCPar Holding – Foto: Divulgação NDJoel Alves assumiu, interinamente, o Porto de São Francisco do Sul, mas acumula o cargo na SCPar Holding – Foto: Divulgação ND

Na verdade, mais de um salário: como coronel da reserva, Joel recebe R$ 26.589,68 e como diretor administrativo da SCPar Holding desde janeiro de 2019 ganha R$ 19.428,14. Além disso, como interino no Porto de São Francisco do Sul, recebe R$ 9.714,07 e ainda R$ 2.719,93 como integrante do Conselho de Administração do Porto de Imbituba, no Sul do Estado.

Joel Alves foi destacado para assumir, interinamente, o Porto de São Francisco do Sul, ao lado de Fabiano Ramalho, diretor de Assuntos Regulatórios e Jurídicos da Holding.

Joel, a propósito, assinou o contrato de R$ 4 milhões entre a SCPar Porto de São Francisco do Sul (subsidiária) e a SCPar Holding (majoritária) para consultoria financeira – plano de investimento e programa de financiamento.

Na época da assinatura do contrato – 20 de agosto de 2019 – Joel Alves representava a parte contratada (veja abaixo), ou seja, a SCPar Holding. Hoje, no entanto, na condição de interino do Porto, ele é contratante.

Salários generosos e gastos com diárias

Outro diretor da SCPar Holding com generosa folha salarial é Ricardo Elói Espíndola, que também é coronel aposentado e recebe da Polícia Miltiar mais de R$ 26,5 mil. Como diretor de Planejamento e Gestão, ganha 19.428,14 e, além disso, recebe R$ 2.719,93 como membro do Conselho de Administração do Porto de Imbituba.

Somados, os salários chegam a R$ 48.736,00. Além disso, Ricardo aparece na lista dos funcionários que lideram gastos em diárias. Só no mês de fevereiro de 2019, ele gastou mais de R$ 17 mil e quem pagou a conta foi o Porto de São Francisco do Sul.

A fim de evitar acúmulos de funções e salários, chegou a tramitar na Assembleia Legislativa em 2018 um projeto de lei que proibia a nomeação e recebimento de salários em cargos comissionados por parte de aposentados pela previdência estadual. Ele deveria optar, no ato de posse, entre os proventos do cargo efetivo ou a remuneração do cargo para o qual foi nomeado.

No entanto, o projeto, do deputado Kennedy Nunes, foi vetado pelo governador Carlos Moisés no início de 2019 e não houve maioria no Legislativo para derrubar o veto até o momento.

Leia mais

+ Infraestrutura