Relatório ND: Florianópolis, a Ilha da beleza, pede mobilidade e saneamento

- +
Representantes de importantes segmentos da Capital, ligados à indústria, comércio, construção civil, direito, segurança e sustentabilidade, opinam sobre como Florianópolis pode combater o crescimento

Representantes de importantes segmentos da Capital, ligados à indústria, comércio, construção civil, direito, segurança e sustentabilidade, opinam sobre como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de mais favelas, sugerindo ações para fazer dela uma cidade melhor e revelando o que mais gostam na terra em que faltam adjetivos para classificá-la quando o assunto é sua natureza privilegiada.

Confira o que dizem algumas autoridades:

1ª RPM/4º BPM – 4º Batalhão de Polícia Militar

Dhiogo Cidral de Lima, comandante e tenente-coronel

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

Florianópolis desponta como uma cidade em franco crescimento, com grande captação de renda e oportunidades. Isso atrai gama enorme de pessoas, que buscam aqui uma melhoria de vida, mas que infelizmente não têm recursos para se manterem estáveis e acabam se agregando às ocupações. Isso foi percebido por pessoas mal-intencionadas, que aproveitam essa demanda e negociam espaços ilegais de moradia, vendendo ou alugando. Muitos movimentos sociais e políticos acabam fazendo força para o estabelecimento e permanência de áreas ocupadas e que crescem sem planejamento e estrutura, tornando-se inevitavelmente bolsões de pobreza.

O que você mais gosta em Florianópolis?

Difícil explicar. Talvez por ser nativo, o apego à terra-mãe defina o meu amor pela terra. Mas, além disso, a cidade tem uma energia e um clima que cativam e prendem nossa atenção, e que naturalmente deixam quem vive aqui feliz. Não à toa é a Ilha da Magia. Tem também um senso de organização e limpeza. A vida aqui é boa, e com seu povo modesto e simples, o legítimo manezinho, segue seu rumo, sem extravagâncias.

O que Florianópolis deve fazer para ser uma cidade ainda melhor?

Para a evolução para uma melhor cidade, precisamos pensar em criar desde já infraestrutura que suporte o crescimento irrefreável. Loteamento de certas áreas, fazendo-as habitáveis dentro da ilha, com definição de áreas residenciais, evitando a ocupação desordenada ou, ainda, permitindo a relocação de moradias. Mas o que mais é necessário é a infraestrutura viária e a melhoria da mobilidade, ainda um entrave sério.

Daniel Paladino, promotor de Justiça

Promotor Daniel Paladino acredita na união de esforços – Foto: Anderson Coelho/NDPromotor Daniel Paladino acredita na união de esforços – Foto: Anderson Coelho/ND

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

Em primeiro lugar, entendermos que há um processo de invasões e favelização em curso que necessita atenção de toda sociedade. A solução passa pela união de esforços entre poder público e sociedade civil, por suas entidades representativas, criação de políticas estruturadas de moradia e ocupação do solo urbano e fiscalização preventiva por parte dos órgãos de controle e da própria sociedade.

O que Florianópolis deve fazer para ser uma cidade ainda melhor?

Embora ostente indicadores invejáveis de qualidade de vida se comparado ao cenário nacional, devemos investir forte no ordenamento urbanístico, prevenindo-se a ocupação irregular e desenfreada do solo urbano, que traz nocivos impactos sociais e ambientais.

O que você mais gosta em Florianópolis?

Belezas naturais ímpares, vida ao ar livre e a espontaneidade e alegria de seu povo.

Anita Pires, presidente da Floripa Amanhã

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

O crescimento desordenado só será resolvido se conseguirmos planejar o desenvolvimento. E esse planejamento tem que ser feito com a sociedade, com os movimentos organizados, setor empresarial, social, juntamente com o setor público. E pensado no sentido da inclusão social. Uma cidade não será boa para ninguém, se ela não for boa para todos.

O que você mais gosta em Florianópolis?

As belezas naturais, nossa cultura e as pessoas que vivem aqui. Temos um desenho geográfico maravilhoso. Uma ilha é sempre algo encantador. Somos uma cidade com atrativos lindos, com as pontes e os prédios antigos. E uma vocação para economia criativa, uma cultura riquíssima. As pessoas são “leves”, acolhedoras.

O que Florianópolis deve fazer para ser ainda melhor?

Precisamos cuidar mais dela, nos sentir comprometidos com uma cidade cada vez mais limpa, com saneamento, meio ambiente preservado, oportunidades para todos. O futuro de Florianópolis não é um projeto somente do poder público, mas precisa ser feito em coprodução por pessoas, empresas, organizações sociais e governo.

Mario Cezar de Aguiar, presidente da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina)

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar – Foto: FIESC/Marcos Campos/Divulgação/NDO presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar – Foto: FIESC/Marcos Campos/Divulgação/ND

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

Com ordenamento territorial, regras claras de ocupação e fiscalização. Empreendimentos formais são criteriosamente fiscalizados, ao contrário da ocupação desenfreada nas encostas e várias localidades ao longo do território da ilha, onde falta controle, com efeitos negativos para a segurança hídrica, o esgoto sanitário e a mobilidade.

O que você mais gosta em Florianópolis?

A natureza exuberante é nosso diferencial. Mas, infelizmente, a ocupação desordenada está, cada vez mais, comprometendo este que é o maior patrimônio dos florianopolitanos. Tem efeito inclusive na qualidade das águas das praias, pela falta de tratamento de esgoto sanitário adequado, o que prejudica o turismo e a qualidade de vida.

O que Florianópolis deve fazer para ser ainda melhor?

Planejar muito bem, realizar um criterioso zoneamento econômico e ecológico e intensificar a fiscalização das ocupações ilegais, logo no início, para evitar a expansão delas. Investir pesadamente no saneamento, tratar os infratores com rigor, além de melhorar a mobilidade urbana e a segurança pública.

Fernando Willrich, presidente do Secovi (Sindicato da Habitação) de Florianópolis/Tubarão

Fernando Willrich, presidente do Secovi de Florianópolis e Tubarão, na edição anterior do Conami, realizada na capital catarinense – Foto: Fausto DeMiraFernando Willrich, presidente do Secovi de Florianópolis e Tubarão, na edição anterior do Conami, realizada na capital catarinense – Foto: Fausto DeMira

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas na cidade?

A ocupação desordenada é grave problema social, que demanda políticas públicas urgentes, pois além da perda de arrecadação, afeta questões como segurança e saúde. Um exemplo é o número de casos de Covid-19 nas comunidades mais pobres. É preciso fiscalização rigorosa e permanente, junto com um trabalho educativo.

O que você mais gosta em Florianópolis?

Florianópolis tem o privilégio de unir beleza e diversidade com ótimos indicadores sociais, educacionais e econômicos. Isso cria um grande diferencial. A alta qualidade de vida é nossa marca e nosso orgulho.

O que Florianópolis deve fazer para ser ainda melhor?

Investir cada vez mais em educação pública de qualidade, em todos os níveis e conectada com os novos tempos, fortalecendo o empreendedorismo. Foco na inovação, com atração e retenção de talentos. Podemos sediar empresas de todos os portes áreas, em especial nas áreas da tecnologia e entretenimento. É essencial a redução da burocracia na aprovação de projetos imobiliários, para atrair investimentos e aumentar receitas.

Helio Bairros, presidente do Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil) da Grande Florianópolis

Helio Bairros Presidente Sinduscon – Foto: Divulgação/NDHelio Bairros Presidente Sinduscon – Foto: Divulgação/ND

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

Com fiscalização efetiva para que exista o cumprimento das regras já existentes. Além disso, planejamento urbano e um plano diretor coerente com o crescimento sustentável da cidade.

O que você mais gosta em Florianópolis?

Florianópolis é bela por inteiro. Cada detalhe a faz especial, pois cada parte tem uma história, uma vivência. Então, gosto do todo que ela é.

O que Florianópolis deve fazer para ser ainda melhor?

Investimento em saneamento básico é fundamental, porque vai impedir a degradação das belezas naturais. E a melhora da mobilidade urbana vai permitir às famílias aproveitarem melhor a cidade, além de trazer mais opções de moradia. Morar, trabalhar e estudar em bairros diferentes é melhor se as pessoas não precisarem enfrentar o estresse do trânsito.

Zena Becker, Floripa Sustentável

Para coordenadora do movimento, Zena Becker, plano diretor ainda precisa de muitos ajustes. – Foto: Anderson Coelho/NDPara coordenadora do movimento, Zena Becker, plano diretor ainda precisa de muitos ajustes. – Foto: Anderson Coelho/ND

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

A cidade precisa urgentemente da regulamentação de um bom plano diretor, com definição de quais áreas podem crescer. A burocracia é absurda para quem quer construir de forma regular. Precisamos de uma política de habitação social para atender a uma grande demanda e fiscalização rigorosa das construções irregulares.

O que você mais gosta em Florianópolis?

Eu amo esta cidade. Florianópolis tem vocação empreendedora ímpar. As pessoas acolhedoras, o clima e a paisagem compõem um cenário de beleza e calor humano. A união da sociedade civil com o poder público e a iniciativa privada faemz toda a diferença na construção de um lugar cada vez melhor para se viver.

O que Florianópolis deve fazer para ser ainda melhor?

Precisamos definir se nosso caminho é mesmo o turismo, a inovação, o desenvolvimento tecnológico, para construirmos políticas públicas para isso. Só assim vamos atrair novos investimentos, novos produtos, centros de eventos, museus, marinas. A indefinição gera confusão e uma certa paralisia.

Rafael Horn, presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) – SC

Rafael Horn, presidente da OAB-SC – Foto: Julia Knaben/Divulgação/NDRafael Horn, presidente da OAB-SC – Foto: Julia Knaben/Divulgação/ND

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas?

Esse tema é bastante complexo e demanda um conjunto de ações muito bem planejadas e estudadas, e que vão além da regularização de imóveis e da proteção ambiental, tendo em vista que grande parcela da ocupação irregular decorre do contexto de risco socioeconômico vivenciado por inúmeras famílias. Acredito que somente será possível reverter o crescimento desordenado com muito planejamento e atuação conjunta de diversos órgãos, públicos ou não, com políticas públicas voltadas à redução das desigualdades, e com ação equilibrada para a regularização de imóveis, em especial daqueles localizados em terra de marinha. Além, é claro, de fiscalização consistente por parte dos órgãos competentes, para evitar o agravamento deste problema, que é social, ambiental e econômico.

O que você mais gosta em Florianópolis?

Florianópolis é uma metrópole que conserva suas raízes, costumes e tradições tão importantes e peculiares. Gosto muito dessa mistura entre ar provinciano e cosmopolita, tendo em vista a quantidade de pessoas de fora, de outras regiões do Estado, do País e até de estrangeiros, que trazem novas culturas e vêm dando uma nova feição à cidade, sem prejuízo e convivendo em harmonia com a essência “manezinha”.

O que fazer para ser uma cidade ainda melhor?

Muito, muito planejamento. A cidade precisa identificar melhor seus potenciais e trabalhar nisso com afinco. E precisa também de um cuidado especial com o trânsito, oportunizando um transporte público eficaz e investindo em outros modais, como o transporte marítimo. Em uma cidade que tem a sua maior porção geográfica literalmente cercada pelo mar, não podemos depender apenas dos veículos automotores.

Roberto Costa, publicitário

Roberto Costa, publicitário – Foto: Thiago Eriksson/divulgação/NDRoberto Costa, publicitário – Foto: Thiago Eriksson/divulgação/ND

Como Florianópolis pode combater o crescimento desordenado e o surgimento de favelas na cidade?

A Prefeitura tem obrigação de fiscalizar as construções irregulares, mas não fará isto com apenas 10 servidores.

A favelização, além de ser um problema social, é a maior ameaça para a ocupação de terrenos em área de preservação permanente. Não é possível os vereadores, apenas para fazer oposição, sem olhar o interesse maior da cidade, serem contra a lei que proibia as invasões ilegais em Florianópolis e permitia demolições sumárias impedindo a aprovação da Câmara como aconteceu esta semana.

Mas paralelamente temos que ter uma política de habitação, especialmente para os mais pobres, já que o nosso déficit habitacional é de aproximadamente 20.000 unidades,(atualizando os dados de 2016 da extinta COHAB que também é próximo da atualização do número do último plano habitacional feito pela prefeitura em 2010).

Para resolver essa questão teremos, necessariamente, que alterar o plano diretor para estabelecer as centralidades promovendo inclusive verticalidade em algumas áreas respeitando a cultura de cada região.

O que você mais gosta na cidade?

Sem dúvida as belezas naturais são o nosso maior patrimônio e daí a importância de preservarmos os 60% da cobertura vegetal, que é uma das maiores de uma área urbana do mundo.

O que Florianópolis deve fazer para ser uma cidade ainda melhor?

Devemos fazer um planejamento inteligente para os próximos 30 anos. Considerando que vamos dobrar a população até 2050 se não seguimos um plano para esse crescimento sustentável que garanta emprego para os nossos jovens vamos perder a qualidade de vida que ainda temos.