Duplicação da BR-280, no Norte de SC, deve ganhar recursos estaduais

Apesar da aprovação na Alesc, a medida também recebeu críticas dos deputados estaduais durante a votação do projeto

Entre críticas e elogios, foram aprovados nesta semana, pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, dois projetos de lei que autorizam o governo estadual a repassar recursos do próprio Estado para obras de responsabilidade do governo federal. Com isso, a duplicação da BR-280, no Norte catarinense, deve ganhar impulso.

Duplicação da BR-280 será beneficiada com um dos projetos – Foto: Carlos Júnior/NDDuplicação da BR-280 será beneficiada com um dos projetos – Foto: Carlos Júnior/ND

Os projetos, que ainda devem passar por redação final e sanção da governadora Daniela Reinehr, foram encaminhados pelo Executivo em março. Em um deles, o objetivo é criar uma subação a fim de destinar R$ 750 milhões para obras federais no Estado. Já o outro pretende abrir crédito suplementar de R$ 250 milhões para obras em duas rodovias.

Apesar de aprovados, os projetos sofreram alterações. Com isso, a duplicação da BR-280, que liga Joinville a São Francisco do Sul, ganhou R$ 100 milhões com a aprovação da abertura do crédito suplementar, que foi ampliado.

Projetos geraram elogios e críticas entre deputados

Os projetos dividiram opiniões entre os deputados estaduais. Silvio Dreveck (PP), nascido na região Norte e responsável por incluir a BR-280 no projeto, disse que a iniciativa não prejudica outras obras e que a emenda permite que o Estado desconte o dinheiro aplicado nas obras federais da dívida com a União.

Já Kennedy Nunes (PSD), de Joinville, afirmou que tinha dificuldades em votar os projetos. “Para mim tem coisa aí. Se estivéssemos com nossas rodovias estaduais boas, e se estivéssemos numa posição privilegiada, ainda assim teria resistência [em votar favorável], porque é obrigação do governo federal”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Infraestrutura