Após vídeo, Jotur atribui dificuldade de cumprir regras sanitárias a decretos distintos

Prefeitura de Florianópolis suspendeu circulação dos ônibus intermunicipais da Jotur após cobrador orientar passageiros a burlarem medidas sanitárias

A Jotur, uma das empresas responsáveis pelo transporte intermunicipal na Grande Florianópolis, se posicionou após a Prefeitura de Florianópolis suspender a circulação de ônibus da empresa nos limites do município.

O fato ocorreu após um vídeo polêmico ter se espalhado pela internet. Nas imagens, um cobrador orienta os passageiros a burlarem as regras sanitárias após ultrapassar os limites do município.

Passageiros se posicionou sobre suspensão – Foto: Rosane Lima/Arquivo/NDPassageiros se posicionou sobre suspensão – Foto: Rosane Lima/Arquivo/ND

Em nota, a empresa afirma estar se “esforçando no limite” para o cumprimento das medidas sanitárias de segurança estipuladas.

A Jotur cita as dificuldade de “administrar três decretos diferentes em sua área de atuação”, editados pelos governos estadual e municipais. A empresa diz que está tomando “as medidas cabíveis” e pediu a “compreensão e entendimento de todos diante da situação”.

Leia também:

Vídeo em veículo

A empresa lamentou o ocorrido em vídeo registrado na última segunda-feira (22) em um ônibus do transporte coletivo, no qual o funcionário incentiva passageiros a “burlarem” as regras.

“Ainda em fase de ajustes, um dos funcionários da empresa recomenda a organização interna dos passageiros para se adequar ao decreto municipal de Florianópolis – que difere do estadual, onde não há impedimento na ocupação lado a lado dos assentos”, manifestou a empresa por nota.

A Jotur reitera que a ocupação do ônibus em questão era inferior em número de passageiros exigida por ambos os decretos e a ponte a qual o funcionário se referia era a do rio Araújo – limite entre São José e Florianópolis.

03 Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
  • Fabiano
    Fabiano
    Querida Jotur! Basta se enquadrar no DECRETO MAIS SEVERO que todos os outros decretos serão abrangidos. Não? Me diga que estou errado! Como e onde. Obrigado! A desculpa é sempre a pobre da MULETA! Quem quer faz acontecer!
  • João
    João
    A empresa tem dificuldades para se adequar as regras, e ao invés da PMF aplicar sanções contra a empresa, prefere suspender o serviço, penalizando o povo que quer trabalhar.
  • fernanda
    fernanda
    Espero que a empresa e o poder público possam conversar para que a população não seja prejudicada, mas muito pelo contrário, protegida.

+ Infraestrutura