Ministro da Infraestrutura ameaça demitir superintendente do Dnit-SC; entenda

Tarcísio de Freitas acusa problema de gestão como responsável pelo atraso nas obras de SC; parlamentares tentarão reverter cortes

O atraso e o corte orçamentários das obras das rodovias federais em Santa Catarina foi tema de uma reunião tensa entre o Fórum Parlamentar Catarinense e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas. O encontro virtual ocorreu na tarde desta quinta-feira (3).

Sugerindo que a culpa do atraso está na gestão, Freitas anunciou que irá “chamar as empresas” e, se for necessário, irá “punir as empresas. Se for necessário tirar o superintendente do Dnit/SC”. O órgão é responsável por implementar as políticas de infraestrutura no Estado.

Após o corte de orçamento das rodovias de SC, parlamentares se reuniram com minsitro A BR-470 teve corte de R$ 18 milhões do governo federal – Foto: Stevao Limana/NDTV

O ND+ procurou o superintendente Ronaldo Carioni, que preferiu não se manifestar. “A reunião foi entre o Ministério e parlamentares. O Dnit/SC não participou e por isso não vai se manifestar”, informou a superintendência.

O encontro foi encerrado com duas resoluções. O ministro se comprometeu a pressionar a gestão dos empreendimentos e as empresas para executar as obras mais rapidamente. Já os parlamentares resolveram tentar recuperar o montante cortado pelo governo federal.

Em janeiro foram retirados R$ 43,2 milhões previstos no Orçamento da União para investimentos em rodovias federais no Estado. Foram afetadas obras na BR-101 (R$ 20 milhões), BR-470 (R$ 18 milhões), BR-280 (R$ 4,2 milhões) e BR-163 (R$ 859 mil).

Obras em foco

“Primeiro tentaremos derrubar o veto. Se não conseguirmos o número suficiente de deputados, trabalharemos politicamente para mandar ao congresso um PLN (Projeto de Lei) para recomposição do valor”, afirmou a deputada federal Angela Amin.

A deputada concorda que o problema do atraso se encontra na gestão dos empreendimentos. “Temos esse montante para aplicar esse ano e não tem justificativa para que as obras não sigam em ritmo adequado”, considera Amin. “Temos R$ 465 milhões alocados e não conseguiram gastar R$ 100 milhões”.

Durante a reunião, Freitas destacou que no fim de 2021 foi alocado um gerente justamente para acompanhar os trabalhos.

SOS Rodovias

Devido à situação precária das rodovias catarinenses, o Grupo ND lançou no fim de novembro um  abaixo-assinado virtual, chamado de SOS Rodovias, para mobilizar a sociedade e autoridades por mais investimentos nas rodovias federais catarinenses.

A iniciativa marca a nova fase da campanha “SC Não Pode Parar”, que iniciou em julho e vem mostrando a situação precária das BRs que cortam o Estado, além dos caminhos para avançar na área de infraestrutura de transportes. A iniciativa tem apoio da Fiesc (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina).

Obras futuras

Durante o encontro, Freitas também afirmou que Santa Catarina tem maior volume de recursos previstos para manutenção e ampliação de rodovias federais. Somando verbas federais e estaduais, são R$ 831 milhões para aprimorar o transporte catarinense.

Para os próximos dois meses Freitas anunciou a entrega de 14 obras feitas em quatro rodovias federais. Na BR-163, a liberação no lote 2 de 7 quilômetros de recuperação de pavimento e de vias laterais construídas, além de rotatórias no município de São José do Cedro. Na BR-280, o desbloqueio de 3,7 quilômetros de duplicação e do contorno de Jaraguá do Sul. Já na BR-282, 1,2 quilômetro de terceira faixa.

Para a BR-470 estão previstos seis quilômetros de duplicações em três lotes, mais de 54 quilômetros de trechos recuperados e restaurados em três trechos e a liberação dos viadutos de acesso às cidades de Gaspar e Indaial.

*A reportagem conta com informações da NDTV.

+

BR-101 – SC não pode parar

Loading...