Planejamento Hídrico reforça infraestrutura de abastecimento em Santa Catarina

Obras de ampliação da capacidade de produção de água preveem o abastecimento durante períodos de estiagem

Governo do Estado vai investir 1,7 bilhão em infraestrutura de abastecimento – Foto: DivulgaçãoGoverno do Estado vai investir 1,7 bilhão em infraestrutura de abastecimento – Foto: Divulgação

O Estado enfrentou uma das piores estiagens dos últimos tempos entre 2019 e 2020. A falta de chuva trouxe prejuízos para o meio rural e preocupação para o setor produtivo, além de prejudicar o abastecimento de água em várias regiões catarinenses. Com o objetivo de preparar Santa Catarina para o enfrentamento de períodos de estiagem, cada vez mais severas e recorrentes, o Governo do Estado, por meio da CASAN, prevê o investimento de 1,7 bilhão em infraestrutura de abastecimento.

São 50 projetos que permitirão que o Sistema CASAN mais que duplique a capacidade de produção de água que atualmente atende 194 municípios. Os investimentos serão aplicados na ampliação da capacidade de produção de água para melhoria e modernização de Estações de Tratamento de Água e implantação de novas unidades.

Os recursos também serão aplicados para a ampliação da capacidade de reserva de água nos municípios atendidos pela CASAN, que passará de 222.929 metros cúbicos para 316 mil metros cúbicos de água. Mais de 70 obras de implantação de novos reservatórios estão previstas para os próximos meses.

“É um investimento grandioso, que olha para as futuras gerações, para a saúde e a qualidade de vida dos moradores de Santa Catarina”, destaca o governador Carlos Moisés da Silva.

O Planejamento Hídrico prevê ainda aproximadamente 30% de crescimento das redes de adução e distribuição de água, em mais de 30 obras, muitas já em andamento.

“Com o Planejamento Hídrico sendo uma das metas prioritárias do Estado, a CASAN, alinhada às diretrizes governamentais, e com economias geradas em dois anos de gestão, está investindo em projetos que atendem reais necessidades e anseios dos catarinenses”, complementa a presidente da Companhia, Roberta Maas dos Anjos.

Construção da Macroadutora do Rio Chapecozinho

O Projeto Chapecozinho vai atender aproximadamente 500 mil moradores de Xanxerê, Xaxim, Cordilheira Alta e Chapecó. A construção de ETA com a implantação de 57 quilômetros de adutora e a construção de três reservatórios prometem resolver o grave problema de abastecimento de água em Chapecó e municípios vizinhos, especialmente em períodos de estiagem.

A previsão de conclusão da obra é de três anos, quando o sistema estará apto a captar, tratar e distribuir 1,2 mil litros de água por segundo.

O Projeto Chapecozinho prevê investimento aproximado de R$ 250 milhões – Foto: DivulgaçãoO Projeto Chapecozinho prevê investimento aproximado de R$ 250 milhões – Foto: Divulgação

Ampliação da Estação de Recalque de Água Bruta (ERAB) Rio Cubatão

O projeto visa dar mais segurança ao Sistema Integrado de Abastecimento da Região Metropolitana. Com a obra concluída, o Rio Cubatão poderá contribuir com até 3.000 l/s para o Sistema Integrado que atende Florianópolis, Biguaçu, Santo Amaro, São José e Palhoça, reduzindo a dependência do Rio Pilões, manancial que tem reduzido sistematicamente sua vazão em períodos de estiagem. O investimento será de R$ 11 milhões.

Obras de assentamento de tubulações da nova adutora de água bruta do Sistema Integrado de Criciúma – Foto: DivulgaçãoObras de assentamento de tubulações da nova adutora de água bruta do Sistema Integrado de Criciúma – Foto: Divulgação

Nova Adutora Sistema Integrado de Criciúma

A segunda maior obra do sistema de abastecimento foi iniciada neste mês. Com investimento de R$ 24,8 milhões, o projeto prevê o aumento em 50% da capacidade de levar água bruta da Barragem do Rio São Bento para a Estação de Tratamento São Defende, em Criciúma.

Prevista para terminar antes do verão de 2022, a adutora terá a capacidade de atingir até 1.500 litros de segundo. Será mais segurança hídrica para aproximadamente 400 mil habitantes de Criciúma, Forquilhinha, Içara, Maracajá, Nova Veneza, Siderópolis e Morro da Fumaça.

+

Casan, Sustentabilidade e Saneamento

Loading...