Prefeito Gean Loureiro abre o jogo sobre túnel no Morro da Lagoa e outras obras

Perspectiva é que a obra do túnel inicie no segundo semestre do próximo ano. Custo seria de R$ 150 milhões financiado por convênio com o Banco do Brasil

Uma obra que vai solucionar um dos principais gargalos do trânsito na Capital catarinense. É assim que o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), considera a construção de um túnel que vai ligar a Lagoa da Conceição ao bairro Itacorubi. A perspectiva dele é que a obra inicie no segundo semestre do próximo ano.

Prefeito Gean Loureiro (DEM) mostra o projeto de obra do túnel – Foto: Leo Munhoz/ND

Com 1,2 quilômetro de extensão, com duas pistas, acostamentos dos dois lados e ciclovia, a pista do Morro da Lagoa teria sentido único do Itacorubi para a Lagoa, enquanto o túnel ficaria com o fluxo inverso.

Já o acesso ao túnel seria feito pela rua João Pacheco da Costa, no Canto dos Araçás, e o trânsito sairia pela rua Salvatina Feliciana dos Santos, próximo a entrada do bairro Córrego Grande. Algo parecido com o túnel do Morro do Boi, na BR-101 Norte, em Balneário Camboriú.

“A prefeitura identificou os principais gargalos do trânsito de Florianópolis e a necessidade de melhorar sua mobilidade. O Morro da Lagoa foi identificado como um dos principais problemas de mobilidade da cidade. Vimos a possibilidade de realizar uma concepção, que já está pronta, de um túnel cruzando o morro da Lagoa”, disse o prefeito.

Nos próximos dias, a prefeitura lançará a licitação do projeto do estudo ambiental, a expectativa é que esteja concluído no início de 2022. Em seguida, a retirada da licença ambiental e lançar a licitação da execução da obra.

“A perspectiva é de iniciar a obra no início do segundo semestre do ano que vem. Os recursos já estão garantidos. É uma obra esperada há muito anos por Florianópolis”, comentou Gean.

Os recursos seriam aportados de um financiamento do Banco do Brasil, que está em análise na Câmara de Vereadores para votação, no valor de R$ 300 milhões, desse total R$ 150 milhões seriam destinados às obras do túnel.

Prefeito falou de obras que serão executadas na cidade – Foto: Leo Munhoz/NDPrefeito falou de obras que serão executadas na cidade – Foto: Leo Munhoz/ND

Questionado sobre a reclamação de moradores da região, na qual a prefeitura não conversou com eles sobre o projeto, Gean Loureiro argumentou que a sociedade será ouvida para aprovações dos projetos de execução e do licenciamento ambiental.

“Aí sim é o momento de discutir. Se eu tiver que consultar as 520 mil pessoas que moram em Florianópolis eu não consigo fazer obra. Por que não fizeram antes? Por não ter projeto, não tinha dinheiro, não tinha estudo técnico que justificasse a sua implementação”, rebateu o prefeito.

Outras obras

Gean Loureiro ressaltou que a prefeitura tem um pacote de 352 obras para os próximos anos, entre elas duas pistas de skate street, uma delas no parque de Coqueiros, região continental, que terá o mesmo modelo da utilizada pelo skatista catarinense Pedro Barros.

Ele prevê ainda a construção de uma piscina pública no bairro Monte Cristo, região continental, e a ponte da Lagoa, que deve ter licitação lançada nos próximos de 30 dias.

Segundo o prefeito, as obras serão financiadas com recursos do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) da Caixa Econômica Federal, do próprio município e a outra parte do financiamento do Banco do Brasil.

“Provavelmente vou usar os R$ 150 milhões em outras obras, porque a do túnel vai começar no segundo semestre do ano que vem. Mas eu vou começar com dinheiro na conta”, disse.

Engordamento das praias

O prefeito também comentou em relação às obras de engordamento em três praias da Capital. Segundo ele, a dos Ingleses, o projeto está praticamente finalizado. Informações  técnicas apontaram uma redução no valor dessa obra, visto a existência de uma jazida de areia próximo a praia, que deverá reduzir o custo. As outras duas são: Jurerê e Pântano do Sul.

Prefeito Gean Loureiro falou sobre engordamento das praias – Foto: Leo Munhoz/NDPrefeito Gean Loureiro falou sobre engordamento das praias – Foto: Leo Munhoz/ND

A previsão para início do obra de engordamento é apenas para junho do próximo ano, mas por dois motivos: “Nós temos um problema, porque só pode ser feito em duas épocas do ano: depois da temporada de verão, que tem um grande movimento, e do período da pesca da tainha, com isso a probabilidade de execução é no primeiro semestre de 2022”, explicou o prefeito, ao ressaltar a experiência bem sucedida na praia de Canasvieiras.

Rua Deputado Edu Vieira

Gean Loureiro também explicou o atraso no andamento das obras da rua Deputado Edu Vieira, no bairro Pantanal. “Ela está sendo executada agora, conseguimos dar as ordens de serviço finalmente”, informou.

Melhorias na Rua Deputado Antônio Edu Vieira são uma demanda antiga dos moradores – Foto: Leonardo Sousa/PMF/NDMelhorias na Rua Deputado Antônio Edu Vieira são uma demanda antiga dos moradores – Foto: Leonardo Sousa/PMF/ND

“Tinha um problema porque é um recurso federal, primeiro estava bloqueado por causa das contas da prefeitura, depois a empresa que foi licitada na época do prefeito Cesar Souza, uma empresa portuguesa, desistiu da obra e mergulhou muito no preço e não conseguiu executar depois”, relembrou.

De acordo com o prefeito, já em sua gestão, foi refeito o projeto e houve uma nova licitação, ganhou uma empresa do Rio de Janeiro e seis meses depois faliu, abandonando a obra.

“Modificamos e decidimos não usar mais recursos federais, porque o preço da tabela do governo federal era muito baixo, então quem entrava não conseguia executar. Pegamos uma tabela do Finisa e licitou e agora a empresa está na obra”, justificou. A perspectiva é que a obra esteja concluída em seis meses.

Balneabilidade

Sobre a promessa de balneabilidade na avenida Beira-Mar Norte, o prefeito esclareceu que há existência de pontos aptos para banho. Segundo ele, se criou uma expectativa de banho de mar, mas as pessoas não devem observar apenas esse aspecto, tendo em vista, de acordo com ele, a nítida melhoria na qualidade da água.

“É óbvio que o projeto realizado pela Casan na unidade de recuperação ambiental se criou muito aquela história do banho de mar. Mas muito mais do que isso, quem mora ali sabe que o odor que tinha por lá, praticamente acabou, a qualidade da água é outra”, alegou o prefeito, ao lembrar a implantação da marina da Beira-Mar, uma obra realizada com recursos da iniciativa privada.

Em relação à Lagoa da Conceição, Gean Loureiro pontuou a existência de projetos realizados para desassoreamento de algumas regiões, que vai melhorar a balneabilidade do local.

Além disso, a secretaria municipal de Meio Ambiente tem feito estudos para uma compensação da própria Casan pelo dano ambiental que causou naquela região, em janeiro deste ano.

Obras ainda não acabadas

Questionado sobre anunciar novas obras sem concluir as que ainda estão em andamento, Gean Loureiro justificou a necessidade de que o trabalho deve ocorrer em todos os bairros e o ano inteiro.

“Para uma cidade crescer não se pode esperar acabar uma obra para começar outra” – Foto: Leo Munhoz/ND“Para uma cidade crescer não se pode esperar acabar uma obra para começar outra” – Foto: Leo Munhoz/ND

“As pessoas dizem: ‘Tu vê o Gean, não conseguiu terminar as obras’. Tem 2% que eu não consigo, só que eu tenho 300 a 400 obras”, frisou. O prefeito justificou que a disponibilidade de recursos e a capacidade financeira da empresa vencedora da licitação são primordiais para o andamento das obras.

O prefeito citou duas obras na Lagoa da Conceição, como exemplo: a da rua Acácio Garibaldi que vai até a praia da Joaquina, que está com o cronograma dentro do prazo, realizada com recursos da prefeitura; e a da avenida das Rendeiras, recurso do governo federal, que atrasou o repasse e a empresa contratada não teve suporte para prosseguir com o trabalho.

“Fizemos um acordo, estou adiantando com o dinheiro da prefeitura para não atrasar a obra”, contou.

A previsão de entrega da pista de rolamento das Rendeiras é até o início da temporada de verão. A construção dos decks deve ficar pronta em maio do próximo ano.

“Para uma cidade crescer não se pode esperar acabar uma obra para começar outra. Temos que ter obra em todos os bairros e o ano inteiro. Por exemplo, eu não preciso terminar a revitalização da Via Expressa Sul para poder executar outra obra. Vou realizar centenas de obras ao mesmo tempo em Florianópolis”, finalizou.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Infraestrutura

Loading...