Santa Catarina irá decretar calamidade pública após ciclone: “momento crítico”

Texto será publicado na tarde desta quinta-feira (2) e facilitará acesso de cidades a recursos do Governo Federal

Com 135 cidades fortemente atingidas pela passagem do ciclone na terça-feira (30), Santa Catarina irá decretar estado de calamidade pública. A decisão foi feita em conjunto entre o Governo do Estado, administrações municipais e Defesa Civil, e será publicada ainda na quinta-feira (2).

Chapecó foi uma das cidades mais afetadas pelo ciclone extratropical – Foto: Prefeitura de Chapecó/Divulgação/ND

O decreto agiliza o acesso a recursos para compra de itens a serem enviados para as cidades atingidas. Em circunstâncias normais, as prefeituras acessam um sistema nacional de proteção de desastres por meio de fichas com dados de eventuais danos e necessidades, que posteriormente são homologadas pela União.

Com a situação de calamidade pública, a Defesa Civil ratifica antecipadamente esses pedidos, funcionando como um intermediário que agilizará o repasse de recursos. “A situação do Estado atende aos pré-requisitos para fazer esse tipo de solicitação”, explica o secretário da Defesa Civil de Santa Catarina, João Batista Júnior. “É uma necessidade em momento crítico”, pontua.

Leia também:

Além do decreto estadual, o fórum parlamentar catarinense, formado por deputados e senadores do Estado, irá se reunir para buscar recursos junto ao Governo Federal.

Até a manhã de quinta-feira (2), nove pessoas morreram e outras duas continuavam desaparecidas. Cidades de todas as regiões do Estado tiveram estragos e, logo após a passagem do ciclone, cerca de 1,5 milhão de unidades ficaram sem energia elétrica – ao meio-dia de quinta, esse número estava em 213 mil desligamentos.

+

Infraestrutura