Tecnologia na BR-101: a importância da pesagem em movimento em Santa Catarina

O sistema de pesagem em movimento aumenta a capacidade operacional, otimizando a liberação com o tráfego intenso de caminhões na rodovia

Tecnologia de pesagem em movimento aumenta a capacidade operacional- Foto: Getty Images/iStockphoto/NDTecnologia de pesagem em movimento aumenta a capacidade operacional- Foto: Getty Images/iStockphoto/ND

O fluxo de veículos cresce vertiginosamente na BR-101, em Santa Catarina e entre esses veículos, muitos caminhões de carga e contêineres tomam a rodovia que cruza o Estado de Norte e Sul pelo Litoral. A movimentação de caminhões de carga se justifica pela grande atuação industrial catarinense escoada pela rodovia que liga Santa Catarina a outras regiões e, ainda, levando a produção aos portos catarinenses para transporte marítimo e exportação.

O grande fluxo de veículos pesados traz ônus e bônus ao estado. Enquanto movimenta a economia transportando uma produção diversa por meio das rodas dos caminhões, também influencia na mobilidade e, ainda, na infraestrutura da rodovia. Além disso, estudos apontam que mais de 30% dos acidentes registrados em rodovias federais envolvem veículos de carga e, o mais frequente, é o tombamento, que representa quase metade dos acidentes envolvendo esse tipo de veículo.

A velocidade é fator determinante e que aumenta significativamente as chances de tombamento dos veículos de carga e, somado ao sobrepeso e arrumação da carga, os acidentes podem se tornar ainda mais graves. Por isso, o controle do sobrepeso dos veículos de carga é essencial para evitar acidentes e manter a rodovia em bom estado de conservação, uma vez que o peso excessivo prejudica a qualidade da via.

Tombamentos de veículos de carga prejudicam transito nas rodovias Catarinenses – Foto: Getty Images/iStockphoto/NDTombamentos de veículos de carga prejudicam transito nas rodovias Catarinenses – Foto: Getty Images/iStockphoto/ND

As rodovias possuem balanças de pesagem, porém, com o fluxo cada vez mais intenso deste tipo de veículo, as tradicionais balanças não conseguem atender a demanda em tempo hábil, influenciando, assim, nas filas já “tradicionais”. 

Para aumentar a capacidade operacional dos postos de pesagem, os sistemas de pesagem em movimento ou HSWIM (High Speed Weigh-in-Motion) já são utilizados em diversas rodovias no exterior, melhorando o fluxo e a precisão dos resultados. Os sistemas são capazes de estimar o peso total do veículo e a capacidade de suporte por eixo ou grupo de eixos dos veículos. Além da precisão, o sistema de pesagem em movimento acelera a medição minimizando o impacto do tráfego intenso de caminhões, uma vez que eles não precisam parar para realizar a pesagem. Afinal, como o próprio nome sugere, a pesagem é realizada em movimento e, ao passar pelo local da “balança”, o veículo é automaticamente “lido” pelo sistema.

Mas, há mais vantagens além da velocidade de pesagem. Os dados precisos obtidos por meio da tecnologia se tornam subsídios para que os engenheiros tenham, em mãos, dados precisos de velocidade, peso, volume de tráfego, tipo de veículo e horários baseados nas pesagens e no espaçamento dos eixos do caminhão.

Utilizados em grande escala nas rodovias europeias e norte-americanas, os sistemas de pesagem em movimento utilizam sensores no pavimento capazes de medir a força de impacto aplicada pelo pneu, o que faz com que seja possível estimar o peso suportado pelo pneu. O sistema armazena informações como: carga por roda, carga por eixo, carga por grupo de eixo, peso bruto total, velocidade, espaçamento entre eixos, classe do veículo, identificação do posto, pista, sentido e direção, data e hora, distância entre eixos, código da infração (se houver), entre outras.

A modernização do sistema de pesagem exige investimento, mas em contrapartida, melhora a fiscalização dos veículos de carga evitando o sobrepeso que causa acidentes e desgasta a rodovia, além de otimizar o sistema de pesagem evitando filas nos sistemas usuais de balança de pesagem. A regularização das balanças rodoviárias com o sistema HSWIN faz parte de um pacote de ações e obras propostas na campanha  “BR-101, SC não pode parar”, uma iniciativa da FIESC e do Grupo ND para garantir segurança e eficiência na rodovia que move Santa Catarina.

+

BR-101 – SC não pode parar

Loading...