Mau tempo adia reposição de tubos na praia Central de Balneário Camboriú

Condições da maré fizeram com que o reposicionamento da tubulação principal, que traz areia nova da draga para a obra de recuperação da Praia Central, fosse transferido para sábado (16)

A chuva e o tempo instável ao longo de toda semana no Litoral Norte de Santa Catarina fizeram com que as condições da maré ficassem desfavoráveis para a reposição da tubulação principal, que traz areia nova da draga Galileo Galilei para a obra de recuperação da Praia Central de Balneário Camboriú.

Por isso, a reposição que deveria ter sido feita no final da semana passada, foi transferida para este sábado (16) por conta do mal tempo. Este reposicionamento vai trazer a ponta de terra da tubulação da altura da rua 3.700, onde está hoje, para a orla na altura da rua 1.800. A operação exige a flutuação da linha de tubos e utilização de quatro rebocadores para o reposicionamento.

Tempo instável atrasou reposição dos tubos do alargamento da praia Central – Foto: Secom BC/DivulgaçãoTempo instável atrasou reposição dos tubos do alargamento da praia Central – Foto: Secom BC/Divulgação

Com o trabalho de recuperação da praia alcançando já a altura da avenida Alvin Bauer. O reposicionamento precisa ser feito para que, a partir dele, se chegue até o Pontal Norte.

A previsão é de que neste sábado haja condições adequadas de maré e climáticas para reposicionar a linha. Caso a previsão não se concretize, a operação será feita na segunda-feira (18). Enquanto isso, a draga Galileo Galilei fica ancorada na enseada e deve participar, também, da operação de reposicionamento da linha.

Este reposicionamento da ponta da tubulação principal da 3.700 até a 1.800 é necessário para que o material, que vem impulsionado da draga, chegue mais rápido e facilmente até o Pontal Norte. A previsão para término desta obra de preenchimento é novembro deste ano.

Draga abastecida

A quantidade de combustível que a draga Galileo Galilei consome a cada parada para abastecer é surpreendente. O equipamento se tornou a mais nova celebridade  de Balneário Camboriú por atuar no alargamento da praia Central.

> Retorno da draga de Balneário Camboriú ao Paraná é antecipado; entenda o motivo

Desde que chegou ao Litoral Norte de Santa Catarina, a draga já foi duas vezes ao porto de Paranaguá no Paraná para abastecer, cada parada teve o consumo de 1,8 milhão de litros de combustível VLSFO (Very Low Sulfur Fuel Oil, ou óleo combustível com baixo enxofre), que só está disponível no porto paranaense. Esse tipo de combustível é menos poluente.

De acordo com a prefeitura, 1,8 milhão de litros é suficiente para a draga trabalhar por três semanas ininterruptas 24 horas por dia. O equipamento transporta diariamente cerca de 60 mil metros cúbicos de areia, com o avanço médio de 90 metros de praia alargada por dia.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Infraestrutura

Loading...