VÍDEO: Moradores reclamam de falta de organização em obra da Via Expressa Sul em Florianópolis

Ao longo dos trechos concluídos, é possível ver materiais e até montes de areia na calçada. Prefeitura afirma que ‘tudo está dentro do planejamento exigido pela engenharia’

Moradores de Florianópolis reclamam da falta de organização para a execução da revitalização na Via Expressa Sul. Outro problema relatado pela comunidade é o da poeira que vem do depósito de materiais da prefeitura, que fica bem atrás do posto de saúde do bairro Saco dos Limões.

Moradores reclamam de falta de organização em obra da Via Expressa Sul em Florianópolis – Foto: Reprodução/NDTV Record TVMoradores reclamam de falta de organização em obra da Via Expressa Sul em Florianópolis – Foto: Reprodução/NDTV Record TV

A obra começou em março de 2021. Na época, a Secretaria de Infraestrutura de Florianópolis disse que em oito meses tudo estaria pronto. Por enquanto, foram finalizadas a drenagem e a reconstrução do asfalto nos dois sentidos da Via Expressa Sul, entre o túnel Antonieta de Barros e o Trevo da Seta. As calçadas e ciclovias ainda estão em obras.

A Associação dos Moradores do Saco dos Limões reclama da falta de organização na execução da revitalização. “Era para estar pronta em oito meses. A gente tá vendo que a obra vai ficar uma coisa muito bonita, mas não acabou ainda. A gente não sabe quando é que vai acabar, porque de vez em quando para. Outro problema é o seguinte, que aqui fica uma ciclovia e uma pista de caminhada do lado de uma autopista. A hora que acontecer um acidente pode ser atropelado alguém porque eles andam em alta velocidade”, disse o presidente da instituição, Sandro Maurício da Silveira.

Ao longo dos trechos concluídos, é possível ver materiais largados e até montes de areia na calçada. Outro problema, segundo os moradores, é a poeira que está vindo do local onde a prefeitura colocou areia e lajotas, que fica bem atrás do posto de saúde do Saco dos Limões.

“Aquilo ali é outro absurdo. Aqui é uma AVL (área verde de lazer), onde nós temos à esquerda os restos das pontes, onde hoje tem uma criação de caramujos africanos, que já tá pelo bairro todo e daqui a pouco vai estar pela cidade. Aquela montanha de areia, que aquilo lá ficou um depósito. Onde é que numa AVL pode ter aquele tipo de coisa?”, questionou Silveira.

A Via Expressa Sul é uma rodovia estadual, ou seja, responsabilidade do governo de Santa Catarina. No entanto, para fazer a revitalização, o município assumiu provisoriamente a gestão do espaço que é a principal ligação entre o Sul da Ilha e o Centro.

Promessa da Prefeitura é transformar a Via Expressa Sul na Beira-Mar Sul, nos moldes da Beira-Mar Norte – Foto: Leo Munhoz/NDPromessa da Prefeitura é transformar a Via Expressa Sul na Beira-Mar Sul, nos moldes da Beira-Mar Norte – Foto: Leo Munhoz/ND

A previsão inicial da prefeitura era investir R$ 15 milhões na obra, mas a licitação foi vencida por R$ 11 milhões. Por causa da pandemia e para reequilibrar o contrato financeiro, devido ao custo do asfalto, o Município autorizou um aditivo de R$ 2 milhões no contrato original em 2021.

“Agora, nós estamos fazendo a parte das calçadas, dos passeios e dos canteiros. E isso nós vamos deixar concluído nas festividades do aniversário de Florianópolis”, contou o secretário de Infraestrutura da Capital, Valter Gallina.

Sobre a falta de organização na obra, o secretário afirma que tudo está dentro do planejamento exigido pela engenharia, respeitando todas as etapas de execução e segurança. Com relação aos transtornos com poeira, a prefeitura afirma que os montes de areia são reservas técnicas de materiais para obras em andamento na cidade.

De acordo com Gallina, “a ideia é não ficar muito tempo. Retirar de lá em breve. É para ajudar as obras que nós estamos fazendo, que são inúmeras em nossa Capital”.

Confira mais informações na reportagem do Balanço Geral Florianópolis.

+

BG Florianópolis

Loading...