Cantora se dispõe a pagar velório de jovem morto em operação policial no RJ

No mesmo crime, o padrasto do jovem também foi morto; ambos levavam a namorada do adolescente até uma UPA no Estado fluminense quando os disparos policiais foram feitos contra os três

A cantora Ludmilla, em um gesto de solidariedade, se dispôs a pagar pelo velório de um jovem de 17 anos que foi morto durante uma ação policial em Anchieta, na zona norte do Rio de Janeiro, no último sábado (25).

De forma empática, Ludmilla se ofereceu para ajudar família que perdeu o filho no Rio de Janeiro – Foto: DivulgaçãoDe forma empática, Ludmilla se ofereceu para ajudar família que perdeu o filho no Rio de Janeiro – Foto: Divulgação

Através de suas redes sociais, a cantora Ludmilla veio à público mostrar  empatia com a família de Samuel Vicente. A funkeira disse que assistiu uma matéria sobre o caso na televisão, e ficou mexida com o sofrimento da família, que alegava passa por dificuldades financeiras.

Na internet, ela pediu ajuda aos seus seguidores para encontrar os parentes do adolescentes.

Horas depois, a cantora retornou às redes para dizer que já estava em contato com a família. Os enterros de Samuel e de seu padrasto, Willian Vasconcellos da Silva, que morreu na mesma operação, ocorreram na manhã desta terça-feira (28), em um cemitério de Olinda, na Baixada Fluminense.

Entenda o caso

Samuel e Willian foram mortos enquanto levavam a namorada de Samuel para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), em Ricardo de Albuquerque, na zona norte do Rio. Os três haviam saído de uma festa em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, após a menina alegar estar passando mal.

Na ida para o pronto-socorro, disparos policiais atingiram todos eles. O padrasto e o enteado morreram no local, sendo encaminhados para o Hospital Estadual Carlos Chagas, em Marechal Hermes.

Camily, de 18 anos, resistiu aos ferimentos, e foi levada para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Segundo a SES (Secretaria de Estado da Saúde) do município, ela passa bem e já recebeu alta. Uma quarta pessoa também foi atingida de raspão, mas não teve seu nome divulgado.

Em SC, jovem de 17 anos também foi morto após operação policial

Na manhã de segunda-feira (27), um adolescente de 17 anos foi morto após atirar contra uma guarnição do Choque da PM (Polícia Militar) de Florianópolis. A operação ocorreu no Morro do Mocotó, no Centro da Capital.

Segundo o tenente-coronel comandante do BPChoque, Diego Marzo Costa, os agentes policiais entraram à esquerda da rua 13 de Maio, quando foram surpreendidos por dois homens, um de 27 anos, e outro, de 17. Conforme Marzo, os agentes deram uma ordem de parada aos suspeitos, que não foi obedecida.

Na sequência, o adolescente sacou uma pistola e atirou contra a guarnição. Os policiais reagiram e atiraram contra os dois. O mais novo morreu e o mais velho foi atingido no pé e levado ao hospital. Com eles, foram apreendidos uma pistola 380 com carregadores plenos (cheios de munição), dinheiro e quantidade de maconha.

Segundo a PM, ambos têm passagens policiais por tráfico de drogas e organização criminosa. Na noite de domingo (26), houve uma apreensão de drogas e armas, por isso a operação teve continuidade na manhã de segunda.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Internet

Loading...