Pastor de seita bizarra realiza cerimônia com fiéis armados de fuzis nos EUA

Liderado pelo pastor ultraconservador Hyung Jin Sean Moon, alguns dos fiéis exibem armas banhadas a ouro nas cerimônias

Liderado por um pastor norte americano, a seita Santuário de Unificação e Paz Mundial promove cultos ultra conservadores com os fiéis armados, de fuzis nas mãos. Também conhecidos como “cajados de ferro” pelos praticantes, algumas das armas chegam a ser banhadas a ouro.

Além das armas, algumas decoradas com ouro, o pastor usa uma coroa de balas – Foto: Reprodução/InternetAlém das armas, algumas decoradas com ouro, o pastor usa uma coroa de balas – Foto: Reprodução/Internet

Para completar o visual bizarro usado para a seita, Moon frequentemente é visto empunhando um fuzil AR-15, além de uma coroa formada por balas de fuzil. O pastor tem outros pregadores ultraconservadores na família.

“Cada um de nós deve usar o poder do cajado de ferro não para armar ou oprimir, como foi feito em reinos satânicos deste mundo, mas para proteger os filhos de Deus”, declarou o líder Hyung Jin Sean Moon.

Críticos alertam para seita

“É um barril de pólvora. Quando você combina fanáticos com pessoas que possuem uma fábrica de armas, fico muito preocupado”, alertou um deles, Steven Hassan, que chegou a seguir o reverendo Moon.

O alerta do crítico também é sobre o irmão de Moon, Justin, que tem uma fábrica de armas chamada Kahr Arms.

Pastor Moon

O pastor é casado com Yeon Ah Lee Moon, uma das fundadoras do movimento, e seu pai era um famoso reverendo que se dizia ser “messias” pela televisão e teve problemas fiscais nos Estados Unidos.

As informações são do Jornal Extra, que também contou sobre a compra de uma propriedade rural no Tennessee. O local é chamado de centro de treinamento pelos seguidores. Além disso, pertence à seita uma propriedade de 60 KM, onde ocorreu um massacre em 1993.

Naquela década, seguidores do autoproclamado “messias”, David Koresh, morreram em um incêndio após cerco do FBI.

+

Internet

Loading...