Por meio de vídeos no YouTube, Chapecoense ajuda jovens a ingressar no mercado de trabalho

Igor Picoli conquistou seu público dando dicas de como montar um bom currículo, onde achar vagas de trabalho e muito mais, ultrapassando a marca de 750 mil visualizações em seus vídeos

Com mais de 750 mil visualizações em seu canal do Youtube, o produtor de conteúdo Igor Picoli, de apenas 20 anos, se tornou uma referência nacional ao divulgar dicas práticas e concisas sobre carreira e perfil profissional.

Por meio de seus vídeos, Picoli tem como foco ajudar os estudantes que desejam conseguir sua primeira vaga de emprego no mercado de trabalho e não sabem por onde começar, além de auxiliar os trabalhadores que desejam ganhar uma renda extra mensal.

Igor Picoli, em seu estúdio de gravação – Foto: Igor Picoli/Divulgação/NDIgor Picoli, em seu estúdio de gravação – Foto: Igor Picoli/Divulgação/ND

O canal foi criado durante a pandemia de Covid-19, no dia 31 de março de 2020, mas a ideia de trazer esse tipo de conteúdo para o público começou ainda em 2018, quando Picoli trabalhava como aprendiz em uma cooperativa de crédito.

O primeiro vídeo publicado no canal é também o com maior alcance, contabilizando mais de 640 mil visualizações desde a data em que foi postado. Nele, Picoli ensina como montar o primeiro currículo, algo que pode parecer básico, mas que muitos possuem dúvidas de como ser feito.

O produtor de conteúdo explica que “quando eu estava no ensino médio, pedi para uma professora de redação nos ensinar a fazer um currículo e por mais que ela havia prometido, nunca veio a cumprir e realmente ensinar. Decidi que não podemos depender da escola se quisermos aprender a nos virar no mercado de trabalho, então postei este vídeo para ajudar aqueles que nunca tiveram o apoio para aprender o básico necessário”.

Na época, Picoli conta que o vídeo em questão seria como um filho único no canal, mas que depois de alguns dias, com os feedbacks recebidos pelo público, ele não poderia parar com a produção e divulgação desses conteúdos. “Isso me fez dar conta de que valia totalmente a pena seguir com isso tudo!”, conta o rapaz.

As temáticas atualmente variam. Em seus vídeos, Picoli já ensinou como se cadastrar em plataformas de estágio, como obter a carteira de trabalho digital e certificados internacionais de forma gratuita, além de oferecer dicas de como utilizar plataformas virtuais de trabalho, como o LinkedIn, e de como se comportar no home office.

Os retornos pessoais que os vídeos proporcionam

Além de trabalhar exclusivamente com o que gosta, que é a produção de conteúdos midiáticos, Picoli relata que o sentimento é de gratidão ao ler comentários onde pessoas escrevem que conseguiram ingressar no mercado de trabalho por conta de seus vídeos.

“Diariamente o canal recebe diversos comentários agradecendo que desde o currículo até as dicas para entrevista o ajudaram a conseguir um emprego. Todos os feedbacks positivos eu costumo tirar um print e guardar em uma pasta, sempre que estou desanimado com alguma situação, eu acesso essa pasta e os comentários me fazem ter energia para sempre continuar”, conta.

O processo criativo, da preparação à postagem

Picoli conta que escolhe os temas de seus vídeos a partir de dúvidas que seus inscritos possuem. A fim de atender as demandas de seu público, ele seleciona os assuntos que mais podem agregar na carreira profissional de quem o assiste.

“Produtor de conteúdo tem mais de um cargo, é roteirista, diretor, cameraman, editor, marketeiro e muito mais. Seleciono o conteúdo, faço uma pesquisa ao redor do tema para sempre trazer informações verdadeiras e dados úteis, início o roteiro e isso me leva um tempo considerável para ficar pronto, as vezes em torno de 30 minutos a 3 horas dependendo da complexidade do vídeo”, conta. 

Depois da gravação, ainda há todo o processo de edição do vídeo. Por utilizar elementos como chroma-key e animações extras, para o conteúdo ficar dinâmico, o processo todo demanda tempo e disposição, que Picoli tem de sobra. “Todo o processo de um vídeo eu demoro no mínimo 10 horas para produzir, pois acredito que a qualidade é o que torna o canal um diferencial”, relata ele.

Antes dos vídeos irem ao ar, as imagens capturadas passam por um processo de edição, que seleciona as melhores partes do conteúdo produzido para o público alvo – Foto: Igor Picoli/Divulgação/NDAntes dos vídeos irem ao ar, as imagens capturadas passam por um processo de edição, que seleciona as melhores partes do conteúdo produzido para o público alvo – Foto: Igor Picoli/Divulgação/ND

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Internet

Loading...