Schumann conecta o Oeste a Capital em ação de Dia das Mães

A pandemia afastou mães e filhos, mas neste Dia das Mães, a Schumann criou uma ação que transforma distância em conexão

Só em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe – Foto: Arquivo pessoalSó em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe – Foto: Arquivo pessoal

Há três anos os 556 quilômetros que separam Chapecó e Florianópolis viraram quase nada se comparados à saudade e ao amor de mãe e filha. Há três anos, Michele trocou a cidade natal pela Capital, mas deixou no Oeste uma saudade e uma razão para voltar constantemente: a mãe Ivanir. Só em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. Neste ano, infelizmente, mais uma saudade, a de comemorar o Dia das Mães ao lado da melhor do mundo.

Em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. - Arquivo pessoal
1 3

Em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. - Arquivo pessoal

Em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. - Arquivo pessoal
2 3

Em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. - Arquivo pessoal

Em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. - Arquivo pessoal
3 3

Em 2019, foram 12 viagens para visitar a mãe. - Arquivo pessoal

A pandemia afastou fisicamente as duas, mas a conexão criada desde o ventre materno não enfraquece nem pela distância, nem pela ausência obrigatória em um momento delicado como esse. É o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó, mãe de dona Ivanir. “Eu sei que não vai ser fácil, mas eu queria que ela soubesse que a distância não consegue separar isso, se eu pudesse dar um presente, queria trazer ela para cá, pertinho de mim ou ir pra lá e ficar perto dela”, fala.

Este ano, será o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó - Foto: Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
1 3

Este ano, será o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó - Foto: Arquivo pessoal - Arquivo pessoal

Este ano, será o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó - Foto: Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
2 3

Este ano, será o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó - Foto: Arquivo pessoal - Arquivo pessoal

Este ano, será o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó - Foto: Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
3 3

Este ano, será o segundo Dia das Mães que elas passam afastadas e o primeiro sem a avó - Foto: Arquivo pessoal - Arquivo pessoal

Todos os dias a tecnologia ajuda a manter os laços vivos, a conversa em dia e os costumes acesos. “A gente se liga, fica com o celular ligado ali, em vídeo, fica conversando, tomando chimarrão juntas, tomando café, às vezes até no piquenique para ver se mata um pouco a saudade”, conta Michele.

Chamada de vídeo entre mãe e filha – Foto: Arquivo pessoalChamada de vídeo entre mãe e filha – Foto: Arquivo pessoal

Mas, o celular de dona Ivanir tem impedido que as reuniões aconteçam em plenitude. Com a tela quebrada, as ligações de vídeo ficaram prejudicadas, mas Michele deu um jeitinho de consertar essa situação e ela contou com a ajuda da Schumann.

“O celular dela está todo quebrado. Nós ligamos e não enxerga mais ela, ficamos conversando e vendo vultos. Então, o meu desejo é realmente conseguir dar um celular para ela, para que ela possa nos ver, se ver e pelo menos por esse meio de conexão temos hoje, que possamos matar a saudade. Acho que vai ser um presente incrível e ela vai gostar muito”, disse.

Um pacote de presente, uma entrega e a emoção de retomar o contato com a filha e ver, do outro lado da tela, a mulher corajosa, determinada e forte que criou. Dona Ivanir não vai passar o Dia das Mães sem ver a filha. Por enquanto, por meio de uma tela, mas ainda assim, recebendo todo amor e carinho que merece. “Não tenho palavras, muito emocionante porque gostaria de estar junto nesse dia. Se não for pessoalmente, pode ser pelo celular. Que a Michele tenha muita coragem para continuar cuidando dos meninos e da família, do esposo, de todos eles. E que não importa o que aconteça, que fiquem unidos. Eu a amo. Ela é muito determinada, corajosa e sempre vai em frente”, se declara.

Enquanto a distância é uma dura realidade, ficam na memória as lembranças dos abraços, do cheiro e da personalidade da mãe. “Ela é guerreira, forte, cheirosa, linda, profunda, verdadeira, sincera, brava, exigente, sempre foi muito exigente”, fala Michele, orgulhosa da mãe.

Lembranças dos abraços, do cheiro e da personalidade da mãe – Foto: Arquivo pessoalLembranças dos abraços, do cheiro e da personalidade da mãe – Foto: Arquivo pessoal

A Schumann realiza sonhos e neste Dia das Mães, ajuda a conectar famílias como a de Michele e Ivanir que podem até estar separadas neste momento, mas não permitem que a distância enfraqueça os laços de uma vida inteira. “Mãe, eu sei que não posso estar aí hoje, mas quero que você sinta o meu abraço bem apertado no teu coração. Você sempre foi a melhor mãe do mundo, você sempre fez tudo por nós e hoje quero fazer um pouquinho por você. Te amo, um beijo”, finaliza, mas só dessa vez, porque a próxima ligação será com a cuia e o chimarrão prontos para dividir com a mãe, do outro lado da tela.

Schumann expande ação em Santa Catarina

O Grupo Schumann liga famílias neste Dia das Mães e continua expandindo sua atuação por Santa Catarina. Depois de inaugurar uma loja física em Florianópolis, outras cinco abrem as portas nos próximos meses.

Com um mix diverso de produtos em móveis, eletrodomésticos e tecnologia, o Grupo Schumann atua há mais de 20 anos no Sul do país e, agora, expande as ações em Santa Catarina. Com atendimento ágil, inovação e produtos de qualidade, é referência no varejo do Brasil.

Além das lojas físicas, os clientes podem adquirir os produtos com promoções especiais pelo www.schumann.com.br ou WhatsApp da loja.

+

Dia das mães Schumann