Vídeo mostra ‘estrada de tijolos amarelos’ no fundo do mar e traz ideia sobre cidade submersa

Internautas dizem que estrada de tijolos levaria à cidade mitológica de Atlântica; pesquisadores explicam a formação

Uma “estrada de tijolos amarelos” foi encontrada por navegadores em alto mar, no fundo do Oceano Pacífico. A especulação mais mística que se espalhou na internet é sobre ser um caminho para a cidade de Atlântida, que aparece primeiro nas obras de Platão e depois em livros como “O Mágico de Oz” ou na canção “Goodbye Yellow Brick Road”, de Elton John.

“Estrada de tijolos amarelos” levantou hipótese sobre caminho para Atlântida entre os internautas – Foto: Reprodução/ Internet/ND“Estrada de tijolos amarelos” levantou hipótese sobre caminho para Atlântida entre os internautas – Foto: Reprodução/ Internet/ND

A descoberta do que seria uma estrada de tijolos submersa foi da equipe Nautilus, que realiza uma expedição sobre o fundo do Oceano Pacífico, próximo à costa do Havaí. Os pesquisadores já produziram algumas imagens curiosas do local, mas os trabalhos acontecem para aprofundar os conhecimentos das formações das ilhas na região noroeste.

Atlântida

Atlântida é o nome de uma cidade perdida com os primeiros registros nos mitos do “Diálogo”, de Platão, escritos em 360 a.c.. Segundo o site Mega Curiso – de onde vieram essas informação -, a cidade funciona como uma metáfora para as corrupção do poder, da riqueza e da agressividade da indústria.

Além de ser usada como recurso narrativo e ferramenta para enredos de histórias, Atlântida não serve como referência à povos antigos. Além disso, nunca foram encontrados sinais por geólogos ou oceanógrafos sobre cidades submersas carregando este nome.

“Estrada de tijolos amarelos”

Os pesquisadores do Nautilus informaram que, na verdade, a formação é conhecida como hialoclastita. Os “tijolos” são fragmentos de rochas vulcânicas de erupções poderosas que se alojaram no fundo do mar.

As fraturas que deixam o formato foram causadas pelo estresse de aquecimento e resfriamento desses eventos naturais. Na expedição, os pesquisadores pretendem encontrar corais e esponjas saudáveis e em pleno desenvolvimento, algo importante por estarem ameaçadas.

+

Internet

Loading...