Recorde anotado há 41 anos com ‘sapatilha de prego’ segue intacto no Jasc

Evaldo Rosa, atualmente treinador da equipe de atletismo de São Bento do Sul, é uma lenda viva e dono do recorde mais antigo dos jogos, anotado nos 400m em meio as adversidades dos anos 80

A 60ª edição do Jasc (Jogos Abertos de Santa Catarina) simboliza mais que a retomada da competição, cerca de 18 meses depois do vácuo formado pela pandemia do coronavírus.

Evaldo Rosa é o detentor do recorde mais antigo dos Jogos Abertos – Foto: Evaldo Rosa/acervo pessoalEvaldo Rosa é o detentor do recorde mais antigo dos Jogos Abertos – Foto: Evaldo Rosa/acervo pessoal

Mas é mais uma oportunidade da derrubada do recorde de uma lenda: Evaldo Rosa da Silva, de 63 anos. Em 1980, ele fez 47 segundos na prova de 400 metros livre, uma das mais charmosas do atletismo e conquistou uma marca que se mantém até hoje.

“Bateu o recorde em pista de areia e sapatilha de prego. Hoje os caras com pista sintética e sapatilha de ponta não batem o recorde dele”, descreveu uma testemunha da marca.

Competindo por Florianópolis, Evaldo bateu o recorde nos 400 metros rasos, na edição do Jasc realizada em 1980, mais precisamente em 18 de outubro.

“Não tinha noção nenhuma [que o recorde duraria tanto tempo]. Fiquei muito emocionado, para mim isso foi uma marca muito significativa”, relembrou Evaldo em entrevista concedida ao blog Memória Esportiva de Santa Catarina.

“Não faltava treinamento”

Evaldo Rosa, que servia a Marinha à época, revelou que não faltava treinos e investia muito foco no trabalho. “Tinha uma cabeça muito boa, tinha uma mente muito fechada no que eu queria”.

O atleta, inclusive, não caiu de paraquedas na história de uma das competições amadoras mais importantes do País.

Evaldo, que estreou em 1977 competiu, sempre por Florianópolis, até 1987. Nesse período arrematou nada menos que 28 medalhas nos Jogos Abertos, sendo que 14 foram de ouro.

Equipe de Florianópolis, no atletismo; está na capital o recorde da charmosa prova dos 400m – Foto: Evaldo Rosa/Acervo pessoalEquipe de Florianópolis, no atletismo; está na capital o recorde da charmosa prova dos 400m – Foto: Evaldo Rosa/Acervo pessoal

Evaldo Rosa da Silva foi membro da equipe das Olimpíadas de Los Angeles, em 1984, e medalha de prata no Pan-americano de Caracas, em 1983. Essas participações, inclusive, são consideradas por Evaldo suas grandes lembranças da época de atleta.

Sobre uma receita que, na condição de treinador e ser humano, Evaldo faz questão de compartilhar é uma, em tese, bem simples: “Treinar, treinar e treinar. É só isso”.

De atleta a treinador

Atualmente Evaldo treina a equipe de São Bento do Sul e tenta fazer com que seus atletas superem a própria marca.

“Mesmo com avanços na tecnologia e outras coisas, ainda não consegui fazer com que nenhum aluno meu seja mais rápido, mas ainda sigo tentando e isso é o que importa, um dia eles chegam lá”, contou em entrevista concedida, na última semana, ao Jornal ND.

Ele explicou ainda que os incentivos melhoraram no estado desde a época de atleta até hoje, mas que o apoio precisa ser maior.

“Nós íamos para o Jasc muito mais por amor à camisa que por suporte. Hoje já não é tanto dessa forma, mas ainda é uma luta constante dos atletas”, reforça.

Atletismo

O atletismo da edição 2021 do Jasc acontece no município de Timbó, no Complexo Esportivo do município.

Atletismo da edição 60ª do Jasc acontece em Timbó – Foto: Fesporte/divulgaçãoAtletismo da edição 60ª do Jasc acontece em Timbó – Foto: Fesporte/divulgação

As competições tiveram início no domingo e seguem, com as finais, até esta terça-feira (23).

Lenda na tocha

Sergio Rodrigues Castro, o Ceará, como é conhecido no meio esportivo, é atleta do vôlei de praia onde atuou mais de 20 anos. Ficou entre as dez melhores duplas do circuito Banco do Brasil de praia, dentre outras conquistas nacionais. Foi ainda 14 vezes campeão do Jasc. Em 2019 foi destaque ao vencer a medalha Rodolfo Sestrem.

Trata-se de uma outra lenda dos Jogos que, tal qual Evaldo, marcou época em um tempo que não volta mais e registrou, para sempre, seu nome na história da competição.

Foi Ceará o responsável por acender a tocha da 60ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina.

Momento do acendimento da tocha que simboliza o início dos jogos – Foto: Secom/divulgaçãoMomento do acendimento da tocha que simboliza o início dos jogos – Foto: Secom/divulgação

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

JASC

Loading...