Mancha

marcelo.cabral@ndtv.com.br O melhor dos esportes de ação, olímpicos, artes-marciais e modalidades não convencionais, com o olhar diferente e multicultural de Marcelo Mancha. Se deixar ele coloca um som para embalar as notícias e dar movimento aos atletas que brilham no Brasil e no Mundo! Aqui o esporte tem espaço. Só vem!


Judô: conheça a atleta “surdolímpica” de Santa Catarina

A judoca Carolina Kich conquistou um ouro e uma prata em SP nos tatames da categoria "surdolímpica"

A manezinha Carolina Kich da Silva de 22 anos é uma atleta “surdolímpica” que além de representar Santa Catarina, também defende as cores do Brasil nos tatames.

No momento, Carol Kich, parece ser a única atleta surda na modalidade de Judô defendendo Santa Catarina. Para se preparar para as competições nacionais, Carol participa de campeonatos contra atletas não surdos.

Judoca surdolímpica: atleta Carol Kich defende SC nas competições nacionais de Judô – Foto: instagram @carolkichJudoca surdolímpica: atleta Carol Kich defende SC nas competições nacionais de Judô – Foto: instagram @carolkich

Carol já tem 12 anos praticando o esporte. Em dezembro do ano passado ela foi até São José dos Campos em São Paulo, para ser campeã nacional surdolimpíca na categoria até 57kg.

Além do ouro, Carol conseguiu mais uma medalha e emplacou uma prata na modalidade livre até 100kg. Os resultados chamaram a atenção e a sonhada convocação para a seleção brasileira, veio.

Carol Kich representou o Brasil nos tatames nas Surdolimpíadas – Foto: instagram @carolkichCarol Kich representou o Brasil nos tatames nas Surdolimpíadas – Foto: instagram @carolkich

Carol em sua primeira participação internacional nas Surdolimpíadas, que aconteceram em Caxias do Sul-RS, terminou em quinto.

Aproveitamos uma folga nos treinos e trocamos uma ideia com a judoca. Foram 4 perguntas rápidas para Carol Kich.

1- Com foi a participação na Surdolimpíada?  O que você encontrou nos tatames?

Carol Kich: Encontrei adversárias com muito mais experiência que eu, em competições internacionais.

2- Qual competição ou conquista te marcou mais? Dá para escolher?

Carol Kich: É difícil falar de apenas uma, porque ser surda e participar de competições de “ouvintes” é muito difícil, então toda medalha tem uma marca especial. Mas as medalhas de 1° lugar na minha categoria de 57kg e o 2° lugar na categoria absoluta de até 100kg me marcaram bastante. Foi a primeira vez que participei de um campeonato só para atletas surdos e essa vitória me classificou para a Surdolimpíadas Internacionais.

Um ouro e uma prata: judoca de Floripa, Carol KIch conquista dois bons resultados em São José dos Campos, SP – Foto: instagram @carolkichUm ouro e uma prata: judoca de Floripa, Carol KIch conquista dois bons resultados em São José dos Campos, SP – Foto: instagram @carolkich

3- Como nasceu a paixão pelo Judô?

Carol Kich: Além da minha surdez tenho TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade), então faço esportes desde os 4 anos. Comecei com o Judô, por meio de um projeto na escola. Foi difícil, pois o Judô necessita de concentração e eu não tinha. Não sei explicar, mas o amor pelo Judô me fez romper barreiras e com o tempo parei até de tomar medicação para hiperatividade. Sempre falo que o Judô nasceu pra mim e eu nasci pra ele.

4- Fora dos tatames, o que você curte fazer?

Carol Kich: Fora dos tatames eu gosto de estar com os amigos e a família. Tenho como hobby, jogar futebol todos os domingos.

Valeu Carol!!!!

***produção da entrevista Roberto Gatti

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...