Moacir Pereira

Noticias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC, da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Deputado Daniel Freitas repudia Procurador do Trabalho Leomar Daroncho

Procurador condenou relojoeiro que homenageou engraxate no Dia dos Pais

Deputado  Daniel Freitas, do PSL, protocolou na Câmara dos Deputados, pedido de aprovação de moção de repúdio contra o Procurador do Trabalho Leomar Daroncho, a respeito da decisão tomada pelo Ministério Público do Estado de Goiás, onde firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) contra o empresário Paulo Cesar da Silva.

Numa decisão humana de grande repercussão nas rede sociais, este microempresário decidiu doar um relógio de pequeno valor a um menino engraxate que iria presentear o pai no Dia dos Pais.

A Nota de Repúdio do deputado contra o Procurador do Trabalho tem o seguinte teor:
“Venho através desta, apresentar minha total rejeição e incredulidade a respeito da decisão tomada pelo Ministério Público do Estado de Goiás, o qual firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) contra o senhor Paulo Cesar da Silva.
Ocorre que, o Senhor Paulo, num ato de clara generosidade e altruísmo, presenteou uma criança que adentrou seu estabelecimento (uma relojoaria) com um relógio para que a mesma o presenteasse a seu pai. A criança em questão trabalha como engraxate. Claramente o fato sensibilizou o empresário, fazendo-o concretizar a doação e assim, poupando-o de gastar seu notoriamente suado dinheiro. A cena fora filmada e rapidamente viralizou nas redes sociais como ‘um exemplo a ser seguido’.

Acontece que o Procurador do Trabalho, o Senhor Leomar Daroncho, interpretou este ato tão nobre como ‘apologia ao trabalho infantil’, impondo-o então a uma série de obrigações e, na situação de descumprimento, uma multa no valor de R$10.000,00 (dez mil reais) por cláusula violada.

É desanimador observar atos que advém do Estado e que tolhem o cidadão de bem. O Senhor Paulo Cesar da Silva é um exemplo, é um dos tantos brasileiros que nos dão esperanças e que nos fazem lembrar que somos um povo unido, caridoso e humanitário.

Como parlamentar e também como pai de duas crianças, me sinto envergonhado por esta triste ocorrência. Ao Senhor Paulo Cesar da Silva, meu mais profundo sentimento de respeito e reconhecimento do seu ato tão nobre.”

+

Moacir Pereira