“Estou bem acomodado”, diz Zé Trovão sobre cela no Presídio de Joinville

Audiência de custódia de Zé Trovão com gabinete do ministro Alexandre de Moraes aconteceu nesta quarta-feira, dia 27

Após se entregar espontaneamente à Polícia Federal de Joinville nesta terça-feira, dia 26, o caminhoneiro Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, participou de uma audiência de custódia na tarde desta quarta-feira, dia 27.

zé trovão está no presídio de joinvilleZé Trovão se entregou espontaneamente à Polícia Federal de Joinville e encontra-se agora no Presídio Regional de Joinville. – Foto: Reprodução vídeo

A audiência foi determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Neste encontro, realizado por videoconferência presidida pelo desembargador Airton Vieira, magistrado instrutor do gabinete do ministro Alexandre de Moraes, Zé Trovão foi ouvido.

Disse que estava “bem acomodado” referindo-se à cela em que se encontra no Presídio Regional de Joinville. Não ficou claro se o caminhoneiro está dividindo ou não a cela com outros detentos.

Na audiência ficou decidido que a defesa de Zé trovão irá apresar um pedido de liberdade, que será previamente apreciado pela Procuradoria Geral da República. Depois, o Supremo irá dar a palavra final.

“A defesa informa que já protocolou pedido de liberdade por escrito e aguarda um pronunciamento do ministro Alexandre de Moraes para os próximos dias”, informaram os advogados Elias Mattar Assad e Thaise Mattar Assad.

Veja nota na íntegra abaixo

“Após a apresentação espontânea do nosso cliente sr. Marcos Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, nesta terça-feira, o Ministro Alexandre de Moraes despachou designando a realização da audiência de custódia, para esta quarta-feira (27/10), às 14h00. A referida audiência se realizou por videoconferência e foi presidida pelo desembargador Airton Vieira, Magistrado instrutor do gabinete do ministro, que ouviu Zé Trovão.Na audiência ficou convencionado que a defesa apresentará pedido de liberdade, que será previamente apreciado pela Procuradoria Geral da República e posteriormente decidido. A defesa informa que já protocolizou pedido de liberdade e aguarda um pronunciamento do Ministro Alexandre de Moraes, para os próximos dias.”

A defesa está na expectativa de conseguir a liberdade de Zé Trovão nos próximos dias. Enquanto isso, já está credenciando a esposa para que ela possa visitá-lo na prisão. Antes de se entregar à Polícia Federal, Zé Trovão teve contato com a família, que mora em Joinville.

Outra informação que o advogado Elias Mattar Assad repassou à reportagem do Portal ND+ é de que Zé Trovão não será transferido. Ficará detido em seu domicílio, como prevê a legislação.

Perfil de Zé Trovão e cronologia

Marcos Antonio Pereira Gomes, de 33 anos, é apontado como o líder da manifestação de 7 de Setembro, que culminou com a paralisação dos caminhoneiros. Ganhou destaque ao criar o canal: Zé Trovão: a voz das estradas. Por meio das redes sociais, conclamou a população a participar das manifestações. Em Santa Catarina, estradas foram bloqueadas. O movimento que durou dois dias provocou o desabastecimento de combustíveis.

No canal, Zé Trovão também defende bandeiras do presidente Jair Bolsonaro. Os vídeos publicados criticam as autoridades do judiciário. Em um deles pede o impeachment dos 11 ministros do Supremo Tribunal Federal.

O ministro Alexandre de Moraes considerou o ato antidemocrático e no dia 20 de agosto determinou o bloqueio das redes sociais do caminhoneiro e de outros apoiadores de Bolsonaro. Zé Trovão não atendeu a determinação e continuou participando de transmissões e lives para divulgar o movimento de 7 de Setembro.

Acusado de incitar ataques à democraria, o caminhoneiro teve que prestar depoimento à Polícia Federal em Joinville no dia 20 de agosto e se defendeu dizendo que não feriu nenhum artigo da constituição. 

A Procuradoria Geral da República pediu a prisão do caminhoneiro ativista.

Zé Trovão pegou um voo para México e, após uma semana foragido, ele foi encontrado. No dia 9 de setembro em um hotel publicou um vídeo após a ligação da embaixada informando que ele seria deportado para o Brasil.

Alegando perseguição política, o caminhoneiro protocolou um pedido oficial de asilo politico no México como refugiado. Informou que saiu do Brasil no dia 27 de agosto e chegou no no país no dia 31. De lá, ele continuou gravando e publicando vídeos pedindo para que a população parasse o país e criticando o Supremo.

A defesa de Zé Trovão pediu autorização para que ele retornasse ao país no último dia 4 de outubro. O caminhoneiro estaria com dificuldades financeiras para se manter no México já que as contas dele foram bloqueadas pela Justiça. Na petição, os advogados afirmavam que ele se apresentaria espontaneamente à Justiça, o que aconteceu na tarde desta terça-feira, dia 26.

Marcos Antonio Pereira Gomes nasceu em São Paulo e aos 7 meses foi para Minas Gerais para ser criado pelos avós paternos. Aos nove anos, foi conhecer o pai no Japão, não se adaptou e retornou para o Brasil. Estudou e trabalhou em São Paulo.

Mudou-se para o Paraná para tentar realizar o sonho de ser caminhoneiro. Há 3 anos mora em Joinville com a família. Zé trovão tem três filhos, entre eles um recém nascido.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Justiça Brasileira

Loading...