Polícia pede prisão preventiva de mãe e padrasto de Henry

Monique e Jairo estão presos temporariamente; investigação foi finalizada no dia em que o menino completaria cinco anos

Monique Medeiros e Jairo Souza Santos Junior, conhecido como Dr. Jairinho, foram indiciados nesta segunda-feira (3) pela morte do menino Henry. A Polícia Civil concluiu o caso e pediu prisão preventiva, sem prazo, do casal.

Dr. Jairinho e imprensaPolícia pede prisão preventiva de mãe e padrasto de Henry Dr. Jairinho foi preso em abril – Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil/Divulgação/ND

A Justiça aceitou também a denúncia contra Jairinho em outro caso de tortura contra a filha de uma ex-namorada. Além disso, a Câmara do Rio aprovou o processo de cassação do vereador.

Monique Medeiros tinha a expectativa de ser ouvida novamente pela polícia, após divulgar novas cartas em que detalhava a relação com Dr. Jairinho.

A mãe do menino mudou a versão apresentada na delegacia após a morte do filho, em 8 de março, desde que trocou de advogado. Monique e Jairo foram presos temporariamente em 8 de abril por atrapalhar as investigações do caso.

O que diz o laudo

De acordo com o laudo complementar do IML (Instituto Médico Legal) sobre a morte de Henry Borel, de 4 anos, no dia 8 de março, ele morreu em decorrência de uma forte pancada no fígado.

Segundo conclusão do laudo, a pancada provocou uma hemorragia no órgão, o que levou o menino a óbito em poucos minutos.

+

Justiça Brasileira