Nobel da Paz: falta vontade política para tratar violência sexual em conflitos

Ginecologista congolês Denis Mukwege ganhou o Nobel da Paz em 2018 por trabalho com mulheres vítimas de estupro usadas como armas de guerra

Vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Denis Mukwege lamentou, neste domingo (19), por ocasião do Dia Internacional pela Eliminação da Violência Sexual em Tempos de Conflito, a falta de “vontade política” para erradicar esse tipo de violência.

Denis Mukwege, Nobel da Paz – Foto: Wikimedia Commons/Divulgação/NDDenis Mukwege, Nobel da Paz – Foto: Wikimedia Commons/Divulgação/ND

“O estupro e a violência sexual são usados em todos os conflitos contemporâneos, em todo mundo, como é o caso, hoje, na Ucrânia”, escreveu o ginecologista congolês, em um comunicado.

Em 2018, ele recebeu o Prêmio Nobel da Paz por sua ação em favor das mulheres vítimas de estupro, usadas como armas de guerra.

“Constatamos, com amargura, que muitas vezes falta a vontade política, que os meios financeiros são insuficientes”, acrescenta o médico.

“A cultura da impunidade, da qual os autores e instigadores desses atos hediondos se beneficiam, representa mais a norma do que a exceção”, lamentou.

“Pedimos novamente à comunidade dos Estados (…) que mobilizem recursos humanos e financeiros para lidar com as consequências da violência sexual cometida e que redobrem os esforços para prevenir a repetição destes crimes”, convocou Mukwege.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Diversa+ na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Justiça Internacional

Loading...