Acusada de matar a própria filha recém-nascida em Chapecó vai a júri

Ao todo, são seis júris agendados pela comarca de Chapecó que vão acontecer neste mês de junho

Os julgamentos na comarca de Chapecó, no Oeste catarinense, serão retomados no próximo dia 11 de junho. Para esse mês, seis júris estão agendados. Dentre eles o julgamento de uma mulher acusada pelo homicídio da própria filha de 41 dias. O crime ocorreu no dia 23 de junho de 2020, no bairro Efapi.

Morte de bebê aconteceu no bairro Efapi no dia 23 de junho de 2020 – Foto: Polícia Militar/Divulgação/NDMorte de bebê aconteceu no bairro Efapi no dia 23 de junho de 2020 – Foto: Polícia Militar/Divulgação/ND

Esse julgamento vai acontecer no dia 21, às 13h30. A mãe da bebê é denunciada de ter arremessado a recém-nascida na direção do berço. A criança bateu com a cabeça na lateral de madeira do móvel.

Em seguida, a mãe colocou a filha no bebê-conforto e foi à casa de uma vizinha. A mãe se ausentou por alguns minutos, tempo suficiente para a outra mulher perceber a morte da criança.

A mulher responde por homicídio qualificado por motivo torpe com causa de aumento de pena pelo fato de a vítima ser menor de 14 anos.

Acesso restrito aos júris

De acordo com o juiz Jeferson Osvaldo Vieira, titular da 1ª Vara Criminal da comarca, todos os protocolos de segurança sanitária estabelecidos pela Diretoria de Saúde do PJSC (Poder Judiciário de Santa Catarina) serão seguidos.

“Somente terão acesso ao local as partes, os advogados, os defensores públicos, os membros do Ministério Público, os jurados e os servidores e auxiliares do juízo indispensáveis à realização do ato. Com número reduzido de participantes é possível garantir o distanciamento de todos”, garante o magistrado.

Demais júris em Chapecó

O primeiro julgamento será no dia 11, às 13h30. Trata-se de homicídio qualificado por motivo torpe. O crime ocorreu com disparo de arma de fogo, em 18 de novembro de 2015, por volta de 22h30, no bairro Saic. O motivo foi um acerto de contas por dívidas de drogas.

No dia 14, às 13h30, irá a júri o acusado de matar um homem com disparos de arma de fogo na madrugada do dia 19 de maio de 2019, na linha Siqueira, interior de Guatambu. O agressor já havia solicitado que o volume do som fosse diminuído. Um dos tiros acertou a cabeça da vítima, que morreu oito dias depois. O réu será julgado por homicídio qualificado por motivo torpe.

Na sequência, no dia 18, às 13h30, a sessão abordará um crime ocorrido em Caxambu do Sul, em 28 de janeiro de 2017. Dois amigos discutiram. Mais tarde, um deles passou de carro pela casa do outro e efetuou disparos de arma de fogo. O pai do amigo estava na janela e foi atingido no tórax e morreu. O homem responderá por homicídio qualificado pelo emprego de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.

No dia 25, às 13h30, acontece o julgamento de dois homens acusados de homicídio qualificado pelo emprego de recurso que dificultou a defesa da vítima e por corrupção de criança.

Por volta de 22h20 do dia 8 de junho de 2019, os réus incentivaram uma criança de 10 anos a irritar a vítima que reagiu. Foi aí que os acusados iniciaram as agressões e efetuaram um golpe de faca fatal nas costas da vítima.

A pauta de junho encerra no dia 28, às 8h, com o júri do acusado de assassinar um homem, com cinco golpes de faca, no dia 24 de março de 2019, no bairro Jardim América, por volta de 19h. Os dois passaram o dia juntos e na hora de ir para casa, o réu estava sob efeito de bebida alcoólica. A vítima aconselhou passar a noite em sua casa, já que a família do agressor era de outro município.

O acusado arrancou com o veículo bruscamente e novamente a vítima chamou a atenção sobre o estado de embriaguez do motorista. O réu utilizou de uma faca que tinha no carro e desferiu os golpes no outro homem.

O agressor fugiu com a família em direção a Maravilha, mas foi preso em Pinhalzinho. O julgamento será por homicídio qualificado por motivo fútil.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Justiça SC