Primeira audiência da acusada de matar grávida de Canelinha será na próxima semana

Rozalba Maria Grime é acusada de assassinato contra uma jovem grávida em agosto de 2020

Sete meses depois do crime que chocou Santa Catarina e o Brasil, a acusada de assassinar uma jovem grávida para roubar o bebê, em Canelinha, já tem data para ser passar pela primeira audiência.

De forma digital, o julgamento de Rozalba Maria Grime deve acontecer na próxima terça-feira (16). Esta é a audiência da primeira fase do rito do juri, quando serão ouvidas as testemunhas de defesa e de acusação, assim como o perito criminal.

Rozalba em depoimento à Polícia Civil no dia 28 de agosto, um dia após o crime em Canelinha – – Foto: Reprodução/NDRozalba em depoimento à Polícia Civil no dia 28 de agosto, um dia após o crime em Canelinha – – Foto: Reprodução/ND

De acordo com o advogado de defesa da acusada, Rodrigo Goulart, nesta primeira audiência, Rozalba também será ouvida. Ela está presa preventivamente em Florianópolis e deve responder por homicídio qualificado, tentativa de homicídio, subtração de incapaz, ocultação de cadáver e fraude processual.

Relembre o caso

No dia 28 de agosto de 2020, a Polícia Militar localizou o corpo de uma mulher grávida que estava sumida desde o dia anterior, em Canelinha. 

Segundo apurações da Polícia Civil, Rozalba Maria Grime, amiga de infância da vítima, convidou a grávida para um chá de bebê, mas, no caminho, desviou do trajeto e entrou em uma fábrica de cerâmica abandonada.

No local, ela usou um pedaço de tijolo para bater na vítima e fazê-la desmaiar. Em seguida, abriu o abdômen da jovem, com a ajuda de um estilete para retirar o bebê.

Após o crime brutal, ela foi até uma rodovia e simulou um possível parto. A mulher foi ajudada por populares e levada para um hospital. Em um dos depoimentos para a polícia, Rozalba Maria Grime revelou que “simulou” o parto para não “desapontar os familiares que esperavam pela sua gravidez”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Justiça SC