Acusado de matar médica em Itapema deve ir a Júri popular

Justiça também negou o direito de recorrer em liberdade para Ireno Nelson Pretzel, por ele ter fugido para o Rio Grande do Sul, onde já tinha outra namorada

A Justiça decidiu que Ireno Nelson Pretzel, de 65 anos, deve ir a Júri popular pelo feminicídio contra a médica pediatra Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz, em março de 2020, em Itapema, no Litoral Norte de Santa Catarina.

Ireno Nelson Pretzel é acusado de matar a médica Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz, em março de 2020, em Itapema, – Foto: Reprodução/NDIreno Nelson Pretzel é acusado de matar a médica Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz, em março de 2020, em Itapema, – Foto: Reprodução/ND

O juiz negou ainda o pedido do acusado de recorrer em liberdade, pelo fato de que Ireno estava foragido e foi preso no Rio Grande do Sul, onde inclusive tinha uma namorada que não sabia das acusações contra ele.

As decisões cabem recurso, por isso, ainda não há data definida para o julgamento. Ireno é acusado pelos crimes de homicídio com as qualificadoras de feminicídio e asfixia.

Relembre o caso

Ireno é réu confesso do assassinato da pediatra Lúcia Regina Gomes Mattos Schultz, em março de 2020. O crime aconteceu em Itapema, na casa de Lúcia, onde o casal passava os primeiros dias da quarentena imposta pelo coronavírus.

Ele já havia sido preso, logo depois do crime, mas foi solto no dia 3 de junho de 2020. Em março deste ano, Alex Blaschke Romito Almeida, o advogado de defesa do acusado, afirmou à reportagem do Grupo ND que havia duas decisões conflitantes e um pedido de habeas corpus em julgamento, portanto, orientou o réu confesso a não se apresentar e “continuar no local”.

A prisão é em cumprimento à decisão do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina), que determinou prisão preventiva de Ireno.

De acordo com o advogado Alex Blaschke Romito Almeida, o habeas corpus solicitado pela defesa continua aguardando julgamento.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Itajaí e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Justiça SC

Loading...