Acusado de matar modelo a facadas em Blumenau recorre de sentença sobre júri popular

Defensor de Neylor Eduardo de Siqueira questiona "excesso de linguagem" do juiz e pede retirada de qualificadora

A defesa de Neylor Eduardo de Siqueira Dias, acusado de matar a facadas a modelo Daiana dos Santos Silva, recorreu da sentença de pronúncia, que determinar que o réu vá a Júri Popular.

Modelo Daiana dos Santos Silva foi morta pelo ex-namorado com 18 facadas – Foto: Divulgação/Redes SociaisModelo Daiana dos Santos Silva foi morta pelo ex-namorado com 18 facadas – Foto: Divulgação/Redes Sociais

Com o recurso, o caso segue para a análise do TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina), e não há prazo para que o recurso seja analisado pelos desembargadores.

O defensor público que atua em favor de Neylor, Arthur Herman Calabria Lundgren de Albuquerque, explicou que o recurso não pretende evitar que o acusado enfrente os jurados, uma vez que o tipo de crime – contra a vida – é de competência do Tribunal do Júri.

Porém, segundo o defensor, o objetivo do recurso é fazer com que o TJSC reveja a sentença, pois ele aponta que houve erro na forma com que o juiz escreveu a decisão, o que considerou um “excesso de linguagem”.

“Eu recorri porque havia um erro formal na sentença de pronúncia, que acabou entrando indevidamente no mérito, o que poderia influenciar os jurados. Por isso recorri para corrigir esse erro e também para excluir uma qualificadora que era manisfestantemente incabível ao caso”, diz Albuquerque.

Motivo fútil questionado

Além da revisão do texto da sentença, a defesa também pede a retirada da qualificadora de “motivo fútil”, que pode levar a pena a até 30 anos de reclusão.

Para o defensor público, a qualificadora não cabe no caso, pois não poderia considerar que a motivação que culminou no crime é fútil.

“Fim de um relacionamento é um motivo reprovável, mas não chega a ser fútil ou insignificante como quer fazer crer a acusação”, pontua Albuquerque.

Relembre o caso

A modelo e cabeleireira Daiana dos Santos Silva foi morta aos 27 anos com golpes de faca pelo ex-namorado Neylor Eduardo de Siqueira Dias na manhã de 26 de novembro de 2020.

Ela foi atacada quando chegava para trabalhar em um salão de beleza, na região central de Blumenau. Na época, as autoridades informaram que ela teria recebido, pelo menos, 11 golpes. Mais tarde, o laudo cadavérico apontou que ela recebeu 18 facadas.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Justiça SC

Loading...