Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


Covid-19: Judiciário catarinense prorroga suspensão de atendimento presencial

Decisão foi comunicada nesta quinta-feira (29) pelo presidente do TJSC, desembargador Ricardo Roesler

O Judiciário catarinense prorrogou a suspensão do atendimento presencial até 1º de junho de 2021. A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (29) pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ricardo Roesler, durante a 35ª reunião do Comitê Interinstitucional de Acompanhamento da Covid-19.

Decisão foi comunicada durante reunião do comitê de acompanhamento da Covid-19 – Foto: Divulgação;/NDDecisão foi comunicada durante reunião do comitê de acompanhamento da Covid-19 – Foto: Divulgação;/ND

O cenário da pandemia no Estado será reavaliado em duas semanas e, dependendo do número de casos ativos, de mortes e da taxa de transmissão neste período, existe a possibilidade do retorno parcial antecipado.

O expediente do Judiciário, portanto, continua a ser cumprido em regime de home office, das 12h às 19h, de segunda a sexta-feira. Assim, os serviços de protocolo e distribuição de petições judiciais em meio eletrônico funcionarão normalmente, inclusive para o ajuizamento de novas ações e para a interposição de recursos.

Roesler abriu a reunião prestando mais uma homenagem ao desembargador Paulo Ricardo Bruschi, que morreu na última sexta-feira (23), em Tubarão, vítima da Covid-19.

“A continuidade da medida é essencial para o controle e a estabilização da transmissão do vírus em todo o Estado e no Judiciário catarinense. Estamos atentos a todos os pleitos”, disse Roesler.

A reunião contou também com a presença da direção do Judiciário, Ministério Público, OAB-SC (Ordem dos Advogados do Brasil) e Procuradoria-Geral do Estado.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.