Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Greve da Comcap: Justiça bloqueia 200 mil do Sintrasem e instaura inquérito

Desembargador Júlio Knoll determina Ministério Público investigações sobre atos de banditismo contra veículos e funcionários da Comcap

O desembargador Júlio César Knoll determinou o bloqueio de R$ 200 mil diretamente na conta do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal (Sintrasem), pelo reiterado descumprimento das determinações judiciais prolatadas após a decretação da ilegalidade da paralisação dos trabalhadores da Comcap.
Em tres ocasiões diferentes, o magistrado decretou a ilegalidade da greve dos empregados da Comcap, deflagrada sem qualquer negociação com a Prefeitura e sem conversas com os vereadores, que estão examinando projetos de origem governamental que cortam privilégios.
Nota do Tribunal de Justiça informa: “Além de não retomar suas atividades, apontou a administração municipal, os servidores da autarquia têm promovido atos de vandalismo e de violência junto aos colegas que não aderiram ao movimento. Se os cofres do sindicato não puderem fazer frente ao valor da multa, o bloqueio via Sisbajud ocorrerá nas contas dos dirigentes da entidade – seu presidente e os demais integrantes da diretoria.”
O desembargador Júlio Konoll adverte que novos descumprimentos poderão fazer a multa chegar a R$ 300 mil.
Prossegue a nota: “Em outra frente, o desembargador Knoll encaminhou ofícios e entrou em contato com autoridades para solicitar a abertura de inquérito policial com o objetivo de apurar as ações levadas a cabo pelo Sintrasem após a declaração de ilegalidade do movimento grevista. Também acionou o Ministério Público para que designe um promotor específico para acompanhar tais investigações. Por fim, ainda no âmbito judicial, aplicou multa de 20% sobre o valor da causa por ato atentatório à dignidade da justiça.”

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.