Homem que matou esposa e a jogou em rio, no Oeste de SC, é condenado

Ele simulou uma conversa fingido ter aceitado término de relacionamento, quando a intenção era matar a vítima. Réu foi condenado a 25 anos de prisão e indenização

Um homem, de 31 anos, foi condenado nesta quinta-feira (29) pela Justiça pelos crimes de homicídio (com as qualificadoras de feminicídio, utilização de meio cruel e dissimulação) e ocultação de cadáver, em Capinzal, no Meio-Oeste catarinense. A pena é de 25 anos de prisão, além de uma indenização à família da vítima.

Ele foi culpado pela morte da ex-companheira, de 23 anos, em julho de 2019. Após ser degolada, ele jogou o cadáver no Rio do Peixe, segundo o processo. O réu foi condenado a 25 anos, quatro meses e dez dias de prisão.

Ex-companheiro da vítima confessou ter jogado corpo da jovem na ponte sobre o Rio Uruguai – Foto: Google Street View/Reprodução/NDEx-companheiro da vítima confessou ter jogado corpo da jovem na ponte sobre o Rio Uruguai – Foto: Google Street View/Reprodução/ND

Relembre o caso

De acordo com o TJSC (Tribunal de Justiça de Santa Catarina), o casal viveu junto há nove anos, mas estava separado. Dois anos antes do delito, a mulher já havia comunicado à polícia que o réu estava a ameaçando de morte com a promessa de “desová-la”.

O assassinato ocorreu no dia 13 de junho de 2019. Naquele dia, conforme o Ministério Público, o réu chamou a vítima para conversar em sua casa, dissimulando haver aceitado o término do relacionamento e ocultando sua intenção de matá-la.

A vítima teria dito aos filhos do casal que sairia para encontrar com o pai deles. Foi o último dia que foi vista, em Capinzal.

Estando frente a frente com o réu, a vítima foi agredida com um golpe no rosto, que provocou o desmaio. Com a mulher desacordada, ele cortou com profundidade o pescoço dela. Depois, colocou o corpo no carro e  levou-o até uma ponte.

Em seguida, o réu jogou  o corpo e a motocicleta da vítima dentro do Rio do Peixe.

Corpo encontrado quatro dias depois

O corpo foi encontrado quatro dias depois, boiando no lago da Usina Hidrelétrica Machadinho, localizado no rio Uruguai. O local fica entre os municípios de Campos Novos, em Santa Catarina, e Barracão, no Rio Grande do Sul.

O próprio réu indicou o local. Na ocasião ele estava preso preventivamente pelos crimes de tráfico de drogas e associação ao tráfico. Quando encontrada, além da garganta cortada, a vítima tinha lesões na região frontal do crânio. O réu acabou confessando o crime.

Réu pagará indenização

Além da prisão, o Tribunal do Júri da comarca de Capinzal, determinou que ele terá que pagar R$ 50 mil a título de reparação pelos danos morais experimentados pela vítima.

O réu deve pagar a indenização aos pais e filhos em partes iguais. A Justiça negou ao réu o direito de recorrer da decisão em liberdade.

A vítima foi uma das 59 vítimas catarinenses de feminicídio em 2019, segundo os dados da SSP (Secretaria de Segurança Pública). No ano houve aumento expressivo de casos se comparados aos anos de 2018 e 2017 – o crime passou a ser tipificado a partir de março de 2015.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Chapecó e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Justiça SC