Moacir Pereira

Notícias, comentários e análises sobre política, economia, arte e cultura de Santa Catarina com o melhor comentarista politico de Santa Catarina. Fundador do Curso de Jornalismo da UFSC. Integrante da Academia Catarinense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, é autor de 53 livros publicados.


Judiciário e OAB-SC: pesar e luto pela morte de Edison Ubaldo

Poder Judiciário e Ordem dos Advogados emitiram notas de pesar e de luto no Estado.

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina e a Diretoria da OAB-SC  divulgaram nota de pesar pelo falecimento do desembargador e advogado Edison Nelson Ubaldo, ocorrido ontem em Florianópolis, vítima da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).   Ele era pai do juiz Antônio Augusto Baggio e Ubaldo e da médica Margarita Ubaldo.

O teor da manifestação:   “O Poder Judiciário de Santa Catarina, com extremo pesar, comunica o falecimento do desembargador aposentado Edson Nelson Ubaldo, ocorrido neste sábado (13/02), em Florianópolis.

Natural de  Campos Novos, 80 anos, Ubaldo era advogado de formação e passou a compor o Tribunal de Justiça de Santa Catarina, a partir do chamado Quinto Constitucional, ao ocupar a vaga aberta com a aposentadoria do desembargador Silveira Lenzi.

Sua posse ocorreu em 15 de setembro de 2005. Sua aposentadoria ocorreu em agosto de 2010. Integrante da Academia Catarinense de Letras, era pai do juiz Antonio Augusto Baggio e Ubaldo. O velório e a cerimônia de cremação aconteceram neste sábado(13/02), no Jardim da Paz.”

OAB-SC

A Ordem dos Advogados do Brasil-Seccional de Santa Catarina, também manifestou grande pesar pela morte do advogado Edison Ubaldo, declarando luto oficial no Estado por três dias.

Diz a nota:  “A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Santa Catarina, com pesar, comunica o falecimento do advogado Edison Ubaldo, desembargador aposentado do TJSC, pelo Quinto Constitucional da Advocacia.
Detentor da Medalha Florisvaldo Diniz , Ubaldo foi o primeiro presidente da Subseção de Campos Novos (gestão 1990 e 1995/1997). Natural de Campos Novos, era titular da cadeira 11 da Academia Catarinense de Letras, integrava a Academia Brasileira de Gastronomia e fundou a Academia Catarinense de Gastronomia. Foi professor de Direito na Escola Superior da Magistratura e na Escola Superior de Advocacia de Santa Catarina. Atuou como professor honorário das Universidades Hermílio Valdizán, Garcilaso de La Vega, Sto. Toríbio de Mogrovejo (Peru) e Domingo Sávio (Bolívia).
O presidente da OAB/SC, Rafael Horn, manifestou aos familiares e amigos integral solidariedade: “A advocacia catarinense acaba de perder um de seus ícones. A OAB/SC lamenta muito a sua morte e é extremamente grata pela sua enorme contribuição à classe, um exemplo de homem de Ordem”, declarou o presidente.

A OAB de Santa Catarina decreta luto oficial de três dias.